Home » Dia-a-dia e mais um pouco » Cirurgia de Artrodese lombar: Compartilhando minha experiência
fev
18
Tempo de leitura: 6 minutos

Oi turma!!

Tudo bem?

Pois, aqui tudo.. Como alguns já sabem, me submeti, a exatamente um mês, a uma cirurgia de artrodese lombar, uma cirurgia que consiste em fundir vértebras com uso de vergalhões e parafusos, falando de maneira simplificada. Resolvi escrever esse artigo pra compartilhar minha experiência como um modo de juntar minha informação com as múltiplas que se pode encontrar na net e que são, como já sabemos, das mais variadas.

A experiência com essa cirurgia pode ser diversa, e o grande problema consiste em que muitos que estão realmente ruins jogam sua esperança de melhora toda em cima da cirurgia, ou mesmo uns que não estão efetivamente ruins fazem a cirurgia sem ainda não ser realmente necessário e tem, claro, com isso, a piora da dor.

Como sabemos, artrodese, na medicina, significa fusão, ou seja: Fusão óssea de uma articulação. Contudo, a referida articulação, com a artrodese, deixa de existir. Isso pode ser um dado bastante relevante quando se pensa em fazer uma artrodese, especialmente na coluna. Simplesmente por que a mobilidade vai diminuir, e possivelmente vai haver dor se essa mobilidade for tentada (Nos primeiros tempos), como eu mesmo pude confirmar durante minha experiência com essa cirurgia.

Para compartilhar minha experiência de uma forma passo a passo, então, vou começar por alguns fatos que vieram antes dessa cirurgia:

Em 2009, após diversos problemas e diminuição grave da mobilidade na perna esquerda, e, claro, muita dor, fui submetido a uma cirurgia de hérnia de disco, com o DR. João Ivan Lopes, em Pelotas. Ainda antes dessa cirurgia ele me falou que estava tendo disgaste no disco entre l5 e s1 e que, mais cedo ou mais tarde, eu teria de operar provavelmente pra fazer uma cirurgia que iria “fundir” essas vértebras diminuindo, com isso, a dor. Até chegou a levantar a questão de fazer junto já essa cirurgia mas eu não quis.

Após a cirurgia ele me pediu o exame de densitometria óssea, por que achou meus ossos fracos demais para minha idade. Feito então o exame descobriu-se osteoporose grande na coluna, e também perda no quadril e fêmur. Estava ali, claro, uma das prováveis causas do problema. Com o tempo, claro, somamos a ela algumas outras.

Feita então a cirurgia de hérnia, tive uma recuperação boa e sem grandes problemas. Por 2 anos tive tranquilo, até que em 2011 voltei a sentir dor, de forma leve. Após um exame de rotina o médico em questão falou que eu havia perdido, já, mais ou menos 30% do disco. Voltamos à questão da artrodese, que, mais cedo ou mais tarde eu teria de fazer e estava chegando a hora, aparentemente.

Contudo, consegui prorrogar até fim de 2012, quando voltei a sentir, de fato, dores fortes não só na coluna como nas pernas, especialmente esquerda. Então voltei ao DR. João Ivan, e decidimos que, de fato, já estava na hora de tentar a artrodese, por que a tendência, doravante, era somente piorar e não melhorar.

Fiz então a cirurgia, no dia 19/1/2013. Confesso que estava deveras nervoso, especialmente por que, como costumo fazer, busquei na internet informações sobre essa cirurgia e elas eram tão diversas que não havia um parâmetro onde eu pudesse me fixar. Teve alguns dizendo que tiveram um resultado ótimo já desde os primeiros dias; Outros dizendo que os primeiros meses foram uma tortura mas depois melhoraram, outros dizendo que ficaram na mesma, e claro, alguns dizendo mesmo que fizeram a cirurgia e se arrependeram! Como não ficar nervoso numa situação dessas?

Contudo, como quase sempre acontece, me armei de coragem (Que eu nem sei de onde tirei tendo em conta as mais diversas referências), e fui lá e fiz a cirurgia.

Como descrever o pós operatório? Não foi jamais um mar de rosas, mas também não tão horrível quanto poderia ter sido. Eu não sabia que iria ter de colocar sonda na urina: Que coisa chata e desagradável aquilo! E pra tirar então: Não dói, mas arde e incomoda pra caramba… Mas, resumindo a questão: No primeiro dia tive abaixo de morfina e dolantina, e devo dizer que sempre que passava um pouco dos efeitos desses remédios a reação que vinha (Me refiro à dor) não era nada interessante. Soma-se a isso a questão chata e desconfortável de não poder se virar na cama, tendo de ficar de barriga pra cima (Posição na qual eu literalmente nunca consigo dormir). O DR. João Ivan tinha deixado prescrito um medicamento pra me auxiliar no sono se eu pedisse, o qual eu não pedi por que tenho apineia, e pensei: Apineia+remédio pra dormir+barriga pra cima= Uma combinação não muito recomendável… Então, preferi o cansaço e o atraso no sono. Felizmente no outro dia de manhã quando o DR. João Ivan foi me fazer o curativo já autorizou que eu virasse de lado, o que, claro, me botou pra dormir tranquilamente por muitas horas e de forma natural e sem riscos.

Devo dizer que, tanto naquele dia quanto nos primeiros (Especialmente primeira semana), coisas simples como por exemplo se virar na cama se tornam um pouco mais complicadas e se não fossem feitas com apoio dos braços, por exemplo, dói, e o suficiente pra desanimar um pouco. Contudo, nada tem a ver, mesmo nesse estado crítico de pós operatório, com a dor de antes da cirurgia.

Já no terceiro dia, (Dia 21), de tarde, me levantei da cama, não sem algum esforço e também não vou dizer que sem dor, mas o fiz. Já deu até pra tomar um mate com a mãe e a namorada e fiquei mais ou menos uma hora entre de pé e sentado.

Depois, claro, voltei prà cama e só voltei a levantar no outro dia, pra ir pra casa. Devo dizer, que nesse referido dia quase não levantei, por causa da dor, mas no fim consegui, e então pude sair do hospital.

Fiquei os primeiros 4 dias na casa da mãe da minha namorada e então depois fomos pra nossa casa. Mas já no dia seguinte (dia 23) já pude dar algumas caminhadas e ajudar minha mãe a resolver uns problemas computadorísticos, embora tenha quase tido eu um problema por exagerar com o tempo de pé e etc.. Mas tudo bem. Após a primeira semana eu já conseguia ficar bem mais tempo sentado ou de pé, e na segunda semana, tirei os pontos. E devo dizer que essa parte também é bem desagradável: Como levar 22 picadas de agulha duma vez só, uma atrás da outra.. Mas tudo bem: Feita a retirada dos pontos até aproveitei, com alguns cuidados, pra dar uns passeios no centro com a mãe e a Denise. Já voltei pra casa de ônibus e procurei, desde então, agir o mais normal possível, retornando, dentro do permitido, à minhas atividades normais. Hoje estou quase completamente sem dor, (Exceto se faço algum esforço maior), e quase me arrependi de ter cancelado o semestre na facul. Só não estou “completamente” arrependido por que ainda, se cometo algum exagero, tenho um pouco de dor.. Mas não é nada que mesmo um paracetamol 750 e um pouco de repouso não resolvam.

Então, resumindo, o que tenho a dizer sobre essa cirurgia? Nos primeiros dias tu te arrepende, e quase xinga a mãe do cara que inventou ela, mas eu, no meu caso, pelo menos até agora estou tendo uma recuperação excelente, o que fez valer apena o sacrifício. Contudo, relatos como o meu e alguns outros que li, de uma recuperação excelente, são poucos; E deixo um recado à aqueles que estão pensando em fazer essa cirurgia: Pense bem, e avalie bem com seu médico se a possibilidade de melhora é suficiente pra valer o sacrifício do operatório/pós operatório, e mesmo os riscos que nessa (Bem como em qualquer cirurgia que envolve implantes) tem. Feito isso, se achar que vale apena realmente e se você verdadeiramente sente dor a ponto de achar que vale o risco, opere, e, claro, espero que tenha a mesma sorte que eu, e que pegue um bom médico e uma boa equipe pra lhe operar e cuidar do pós operatório. Feito isso, e dado o meu depoimento e recado, deixo a vocês dois links pra olharem, não só pra entenderem o que vai acontecer se fizerem essa cirurgia, como pra não decidirem entrar nessa levianamente:
Vídeo: Mostrando uma cirurgia de artrodese lombar: http://www.youtube.com/watch?v=5SqonUeHS-8
Artigo sobre artrodese lombar no site Dores crônicas: http://dorescronicas.com.br/cirurgia-de-artrodese-lombar-o-que-fazer/

Devo dizer que depois que li esse artigo fiquei um pouco assustado e quase desisti da cirurgia (Isso foi um dia antes de internar); Mas o que o autor do artigo fala é mais ou menos o que estou falando de forma resumida: Não entrem nessa levianamente. A cirurgia pode ser muito positiva, mas deve-se avaliar se realmente é necessário fazer. Eu mesmo não resolvi todos os meus problemas com ela: Ainda tenho dor nas costas, provocada por um problema na região dorsal, mas receio ainda não valer apena operar nesse caso e também não é algo que não se possa suportar.

Termino esse artigo agradecendo às pessoas que doaram sangue para eu poder fazer a cirurgia, bem como a aquelas que ajudaram a divulgar no facebook/twitter. Em apenas 2 dias conseguimos os 5 doadores que eu precisava!!

E, agora, fico por aqui esperando que todos que leiam esse artigo tenham a mesma sorte que estou tendo e que meu depoimento, somado ao material que postei junto com ele, sirvam também de acréscimo às orientações que muitos que vão fazer essa cirurgia ainda precisam.

Leiam bastante, pensem bastante e avaliem bem com o médico.. Feito isso, boa sorte e bola pra frente!!!
Um abraço
Fernando

Please follow and like us:

467 Responses to “Cirurgia de Artrodese lombar: Compartilhando minha experiência”

  1. Débora
    abril 10th, 2013 at 22:53 | #1

    Fernando , gostei muito do seu relato.
    Fiz a cirurgia de artrodese lombar l5 dia 06/03/2013.
    Como vc, estou tendo uma excelente recuperação. Eu vinha sofrendo muito, meu nervo ciático estava sendo literalmente esmagado pela hérnia de disco e o meu disco havia se rompido. Infelizmente , só descobri o meu problema, 9 meses após o início da dor terrível ,na perna esquerda.
    Meu ano de 2012 foi muito ruim… muitas dores, muitos remédios, muitas noites em claro. Problemas dentro de casa, pois meu esposo não entendia o motivo do meu mau humor, a casa desarrumada, minha filha de 2 anos sem receber a devida atenção.Eu já não conseguia mais ficar em pé , tudo o que eu fazia tinha que correr para sentar. Imagina uma dona de casa ,com marido e filha , tudo para fazer sofrendo assim?
    Deixei de ir ao mercado, ao shopping, etc. Minha vida parou.
    Quando o médico disse que no meu caso só uma artrodese resolveria, na hora topei fazer a cirurgia. Minha filha foi meu grande estímulo para não temer , eu não poderia aos 37 anos parar de andar e não poder acompanhar o dia a dia dela.
    Hoje sou outra pessoa… a artrodese foi a melhor coisa para mim… estou me recuperando, ainda tenho algumas dificuldades para me movimentar, sou mais feliz, posso pentear o meu cabelo em pé …rs escovar os meus dentes calmamente e sentir o prazer de um banho, sem ter que me encostar nos azulejos do box para me lavar… dormir? nunca foi tão bom..rs sem dor…
    Tive muita sorte , encontrei profissionais maravilhosos que estão me ajudando a recuperar a minha qualidade de vida.
    Fico por aqui,
    saúde,
    Débora.

  2. maira
    abril 21st, 2013 at 21:38 | #2

    <

    Débora :
    Fernando , gostei muito do seu relato.
    Fiz a cirurgia de artrodese lombar l5 dia 06/03/2013.
    Como vc, estou tendo uma excelente recuperação. Eu vinha sofrendo muito, meu nervo ciático estava sendo literalmente esmagado pela hérnia de disco e o meu disco havia se rompido. Infelizmente , só descobri o meu problema, 9 meses após o início da dor terrível ,na perna esquerda.
    Meu ano de 2012 foi muito ruim… muitas dores, muitos remédios, muitas noites em claro. Problemas dentro de casa, pois meu esposo não entendia o motivo do meu mau humor, a casa desarrumada, minha filha de 2 anos sem receber a devida atenção.Eu já não conseguia mais ficar em pé , tudo o que eu fazia tinha que correr para sentar. Imagina uma dona de casa ,com marido e filha , tudo para fazer sofrendo assim?
    Deixei de ir ao mercado, ao shopping, etc. Minha vida parou.
    Quando o médico disse que no meu caso só uma artrodese resolveria, na hora topei fazer a cirurgia. Minha filha foi meu grande estímulo para não temer , eu não poderia aos 37 anos parar de andar e não poder acompanhar o dia a dia dela.
    Hoje sou outra pessoa… a artrodese foi a melhor coisa para mim… estou me recuperando, ainda tenho algumas dificuldades para me movimentar, sou mais feliz, posso pentear o meu cabelo em pé …rs escovar os meus dentes calmamente e sentir o prazer de um banho, sem ter que me encostar nos azulejos do box para me lavar… dormir? nunca foi tão bom..rs sem dor…
    Tive muita sorte , encontrei profissionais maravilhosos que estão me ajudando a recuperar a minha qualidade de vida.
    Fico por aqui,
    saúde,
    Débora.

  3. abril 26th, 2013 at 11:59 | #3

    Olá Débora, tudo bem?

    Pois.. Como você eu também tive essa sorte, médico bom e equipe boa..
    Sei muito bem o que é isso: Eu também corria pra sentar ou mesmo ficava
    deitado e já nem caminhava mais normalmente nos últimos dias.
    Contudo, fiz o raio x de rotina e apareceu diminuição do espaço entre l3
    e l4 (Eu operei entre l4 e l5 e l5 e s1). E já a um mês venho sentindo
    algumas dores, não como antes, mas existem.. Fico pensando se não vou
    ter de me submeter em breve a outra cirurgia.. Contudo, com certeza não
    vou fazer sem investigar direitinho o que provoca esses desgastes
    intervertebrais..
    Você também fez a cirurgia e com certeza também sabe que, embora o
    resultado seja bom, os primeiros dias de pós operatório são muito
    chatos: Dor pra se mexer na cama, sonda, dreno, curativos, em fim… Não
    é o tipo de coisa que a gente quer passar a toda hora né? Então por isso
    que vou procurar investigar isso bem direitinho…
    Peço desculpas na demora pra responder, tive umas semanas meio doidas,
    mas agora estou voltando à ativa na internet.
    Compreendo sua situação, eu também deixava de fazer tudo por causa da
    dor, felizmente tive (E tenho) uma mãe e uma namorada que souberam lidar
    com isso e o meu tempo de dor forte não foi tanto como o teu (Não tive
    tanta paciência antes de decidir fazer a cirurgia).. Eu não conseguia ir
    na aula, fazer nada em casa, em fim… Só que claro, depois da cirurgia,
    mesmo o que diz respeito a meu trabalho com revenda de hospedagem e
    streaming, tinha coisa atrasada e tive que correr pra botar em dia,
    mesmo enquanto ainda tava no pós operatório.

    Bom, vou ficando por aqui e a gente vai se falando.

    Um abraço

    Fernando

  4. sueli
    abril 29th, 2013 at 15:38 | #4

    oi fernando .
    realmente esta cirurgia é uma novela pois tem que esperar sempre o dia seguinte pra ver o q acontece.Pois bem, tambem me subemeti a mesma cirurgia …coloquei 6 parafusos,para a minha surpresa…consegui adiar a cirurgia por dois anos procurando alternativas pra me curar da dor.
    Meu medico falou q mais tarde ou mais cedo teria q fazer a cirurgia, ele tinha razão,apos longas sessões de fisioterapia e acompultura vi q a dor não melhorava ao contrario estava me travando mais.Então decidi fazer… realmente o pos operatório não é muito agradavel, apos 48 horas recebi alta sai do hospital caminhando devagar mas caminhando os movimentos tem que ser cuidadosos sem abusos mas posso dizer q aos poucos estou retornando as minhas atividades normais. Hoje fazem 32 dias de cirurgia estou bem só q ainda não abuso no q se refere a pegar peso porque sinto imediatamente uma dor brusca, percebi alguma melhoras principalmente nas dores q enradiavam para as pernas,consigo dormir bem. Como vce falou é uma grande decisão a tomar mas principalmente é sorte dar tudo certo. Portanto a recuperação só depende de voce e de sua força de vontade.

    Espero ter ajudado…pois tambem procurei informações para saber o que melhor deveria fazer.
    abraçosss

  5. maio 5th, 2013 at 01:03 | #5

    Oi Sueli!

    Realmente, a melhora depende de uma série de fatores, como li em um
    artigo que inclusive linkei nessa postágem, antes de fazer essa cirurgia
    tem que saber bem direitinho o que e com quem ta fazendo. Eu tive sorte
    de pegar um médico bom e equipe boa também mas isso não é o que acontece
    com todos. Contudo, eu tenho outros probleminhas que provocam dor e
    então no meu caso não melhorou 100% ainda, mas tirou aquela sensação de
    esmagamento na lombar e a dor nas pernas.
    Essa questão de levantar peso é uma coisa que tu não só não pode como
    não deve fazer também, pelo menos nos primeiros meses. E se tentar,
    bom.. Já sabe o que acontece,aaa, (Sim eu também fiz isso, pouco depois
    de um mês de cirurgia), e dói, claro…

    Te desejo uma boa melhora e, claro, apareça aqui de vez em quando pra
    ler meus escritos!aaa..

    Um abraço

    Fernando

  6. IZABEL PINHO
    maio 5th, 2013 at 09:32 | #6

    Tenho hernia L4 L5 S1 tive indicação cirúrgica, mas pesquisei muito sobre o procedimento o pós operatório e fiz uma estatística e o índice de complicação são altíssimos. Não arrisquei, não iria me submeter a um procedimento que piorasse. Em suma a pior dor é o arrependimento. A dor que sinto dá para levar. Li um artigo o qual falava que cirurgia é a última opção. Vi outros métodos não invasivos e com melhoras bastantes significativas. A cirurgia é muito perigosa: hemorragias, limitações, paraplegias, reoperações, rejeição dos pinos, meningite, fibrose epidural, osteomielite, a dor no pós operatório imediato é grande e não há opiodes que atenue, infecção, atrofia irreverssível da musculatura lombar, perda flexão e rotação lombar. ACONSELHO QUEM QUER FAZER PESQUISE MUITO, EXISTEM OUTRAS TERAPIAS NÃO INVASIVAS. FIZ MINHA PRIMEIRA SESSÃO NA ITC VERTEBRAL E JÁ SENTI MELHORAS. A CIRURGIA É BOM SÓ PARA OS MÉDICOS OS OPERADOS VIVERÁ COM LIMITAÇÕES E COMPLICAÇÕES PARA O RESTO DA VIDA.

  7. maio 5th, 2013 at 18:10 | #7

    Olá Isabel, tudo bom?
    Realmente a cirurgia é e deve ser a última opção. Se você já fez outros tipos de tratamento (Medicamentos, fisioterapia, hidro, acupuntura e etc) e nada mais funciona ou/e se você não consegue mais nem ficar em pé direito por causa da dor, aí a cirurgia realmente é uma boa opção. Mas sempre a gente deve considerar toda uma série de fatores que inclui os citados acima e também o local, o médico e a equipe que vai lhe operar.. O risco de paralisia, esse receio dizer que, hoje em dia é mínimo, (Coisa de 2 ou 3%) pelo que andei lendo, até por que a partir da terceira lombar nem tem mais a medula pelo que sei, então os riscos são menores nesse aspecto.

    Contudo há todos os outros riscos que você mencionou e em um gral muito alto, pelo que pude ver lendo por aí também na internet. E também há outra questão que no artigo que menciono aqui no blog fala: Tem que considerar se a dor que você está sentindo é só por causa do problema na coluna.. Se for, você faz a cirurgia e não vai mais sentir dor. Se não for, a dor da coluna pode até melhorar mas e o resto? E se você já tem imunidade baixa por alguma razão também há um risco maior de rejeição, mas, pelo que li, o risco de rejeição assim como o de paralisia são de todos os riscos que você falou, os mais baixos. A perda da flexão e da rotação lombar é um fato com que eu e qualquer outro que opera a coluna nesse caso tem que se acostumar, mas se a dor passa ou diminui, isso é o menor dos problemas…
    Um abraço
    Fernando

  8. Werner
    maio 7th, 2013 at 17:06 | #8

    Operei em dezembro de 2006, já se vão 7 anos, operei de l2 a s1, artrodese com placas e parafusos, tive que fazer a cirurgia 2 vezes porque dois parafusos se soltaram, tiveram que colocar parafusos maiores. Não trabalho pois não existe posição alguma na qual consiga ficar mais de um hora, sem ter que deitar nos intervalos. O pior é que as pessoas que olham pra você, não acreditam que a dor seja tão intensa e os movimentos atrapalhados. Eu falo para todos que conheço que nunca façam essa cirurgia. Tem sete anos de dores inacreditáveis. Para dormir é um sacrifício, pois até achar uma posição favorável demora-se ALGUNS minutos.

  9. maio 8th, 2013 at 03:57 | #9

    Olá Werner..

    Já li diversos casos sobre essa cirurgia, mesmo antes de fazê-la e como
    eu mesmo disse, baseado no que li pude montar uma estatística que mostra
    que casos como o meu (E alguns outros também, inclusive um relatado
    aqui), de sucesso quase absoluto, são poucos.. E alguns relatam que
    melhoraram, mas não 100%, outros que ficou igual e já vi muito relato
    dizendo que ficou pior…
    Contudo receio que casos como o seu, sejam raros. Pergunto: O médico
    que lhe operou fez enxerto ósseo? Que história é essa de trocar os
    parafusos por maiores? Nunca, em todos os casos que li, ouvi falar
    disso, já ouvi de parafuso quebrado, mas não de ter que trocar… Além
    disso, o médico já investigou se você tinha (Ou tem) algum problema
    ósseo?
    É bom dar uma investigada nisso…

    Eu mesmo, fiz a cirurgia, e corrigi a dor lombar em grande parte,
    mas a parte reumática to começando o tratamento só agora: Consultei com
    meu médico ontem, e relatei a dor generalizada que estava sentindo, ele
    me passou um tratamento que vai durar 90 dias, comecei ontem mesmo e
    vamos ver no que dá…

    Ou seja: Fiz a cirurgia, corrigi a dor que não me deixava, no final,
    nem caminhar direito, mas ainda tenho dor generalizada e, inclusive por
    causa disso, não consegui dormir até agora e estou aqui lhe respondendo
    o comentário… Mais um motivo pra eu dizer o mesmo que o médico do blog
    http://www.dorescronicas.com.br disse:É bom investigar, antes da cirurgia, se a
    causa da dor é só o problema lombar, se não tem mais algum outro
    problema. Por experiência própria pude ver: tive uma grande melhora mas
    ainda tenho dor, e como!…

    Sugiro, se for o caso, em sua situação específica, até trocar de médico,
    consultar outros proficionais, em fim…

    Um abraço

    Fernando

  10. Débora
    maio 11th, 2013 at 16:22 | #10

    Oi, Werner! vc mora em qual estado? Eu sou do Rio de Janeiro , li o seu depoimento e se for do seu interesse poderia te passar o telefone do consultório dos neuros que fizeram a minha cirurugia.
    Também achei estranho , vc ter que trocar os parafusos, pois depois de algum tempo eles perdem a função e o que te dá sustentação é a ponte óssea que foi feita, inclusive o enxerto ósseo. Eu entendo perfeitamente suas dores, pois me arrastei por meses seguidos antes de descobrir o meu problema, tbm não conseguia dormir. Não desanime, ouça um outro médico, qualquer coisa eu te passo o número se vc morar aqui no RJ.

  11. Débora
    maio 11th, 2013 at 16:41 | #11

    Oi! Fernando… entendo perfeitamente o seu receio de fazer outra cirurgia.Não é mole entrar num centro cirúrgico, tomar anestesia geral, enfim, toda cirurgia tem algum risco,né? O pós cirúrgico é chato.. e no hospital ninguém tem dó da gente, né? rs… pra ir ao banheiro depois que tiram a sonda é um martírio… levantar da cama é difícil.
    Depois me conta qual é o tratamento que vc começou a fazer , ok?

  12. maio 11th, 2013 at 17:33 | #12

    Oi!!

    Felizmente acho que esse risco não existe mais, pelo que disse o meu
    médico foi o raio x que foi mal tirado e as dores que eu sinto é por
    causa duma artrite; Então ele me deu um tratamento que vai durar 3
    meses, e, claro, já está fazendo efeito, felizmente…
    Contudo quando eu tirar o raio X de novo é que vou saber de fato se o
    problema é devido à má qualidade do raio X..

    Fazer outra cirurgia seria outra tortura, e, claro, podendo escapar
    disso eu escapo, pelo menos enquanto a coisa não tiver insuportável.
    Como o novo tratamento ta resultando, por enquanto não preciso me
    preocupar.

    Um abraço

    Fernando
    P.S.: Também acho, e disse isso acima, que o caso do Werner é muito
    estranho e ele devia já a muito tempo ter trocado de médico. Pelo
    comentário que ele fez não sei nem se fizeram enxerto ósseo nele…

  13. maio 13th, 2013 at 11:11 | #13

    OI Fernando,
    Obrigado por tornar publico a sua esperiencia com a artrodese lombar a qual foi submetido. Muito esclarecedor e de grande utilidade para aqueles que buscam entender o quadro clinico pós operatorio dessa especialidade.
    Fui operado em 26/04/2013, de hernia discal volumosa extrusa no nivel de L5-S1 e corrigida uma protusao posterior de base larga do disco L4-L5, com componente em situação foraminal direita, estando há 19 dias em restabelecimento.
    Com 2 dois dias, deixei o hospital, durante a primeira semana, observei que todos os sintomas de dor haviam passado, inclusive a sensação de dormencia nos 3 tres primeiros dedos do pé esquerdo começando pelo ¨mindim¨. Fiz pequenas caminhadas, subindo e descendo 2 dois lances de escada do meu apartamento, achando que com mas alguns dias, estaria totalmente curado. Pra minha surpresa, o quadro começou a regredir após os últimos dias. Observei que o fato de fazer amor, embora com todo o cuidado, foi o que mas prejudicou meu estado. Nâo consigo posição para dormir sem o uso do colete e sinto dores e a dormencia do pé voltou, assim como a dor de queimação no ciático esquerdo. Tenho andado de motocicleta em pequenos percussos e nada acontece no dia subsequente, mas o tal do amor é cruel. Já haviam me avisado que o pós operatorio deve ser obedecido para esse quesito pelo menos por 30 dias, agora vejo que procede essa afirmação. Voce concorda?
    Vou estar com o médico essa semana para uma avaliação, pretendendo retornar ao seu site, dando informações do meu restabelecimento pós operatorio, com o objetivo de enriquecer com dados a esperiencia que estou passando, para os interessados.
    Muito obrigado…

  14. Débora
    maio 13th, 2013 at 22:39 | #14

    Fernando, graças a Deus vc não vai precisar se preocupar com cirurgia novamente. Faz a sua parte direitinho q vai dar tudo certo. O meu médico mandou eu fazer hidroginástica , amanhã vou dar uma olhada aqui nas academias perto de casa.

  15. maio 14th, 2013 at 00:09 | #15

    Olá Roberto!

    Quando operei hérnia em 2009 (Intraforamidal também) realmente tive que
    respeitar bem o repouso e tinha, inclusive, mais dores (Quando descia um
    degrau ou batia a perna esquerda em alguma pedra, por exemplo), mas não
    sei quanto ào que você relatou sobre a relação sexual por que quando
    veio a acontecer já havia passado o “prazo de repouso”. Contudo sei que,
    no caso de correção de hérnia, se não respeitado direito esse prazo a
    coisa pode se complicar de novo sim.. No mínimo 30 dias após a cirurgia.
    Veja bem: Diferente da artrodese, você continua com o disco e ele passou
    por uma operação corretiva da qual tem que se recuperar.
    Com certeza seu médico vai lhe dar uns bons “puxões de orelha”,
    digamos assim, mas nos relate aqui a evolução do caso se puder, é bom
    até pra evitar outras incidências desse tipo de coisa.

    Um abraço

    Fernando

  16. maio 14th, 2013 at 00:13 | #16

    Oi Débora!

    Pois. O meu ainda não autorizou isso: Embora eu já esteja com a vida
    ativa quase 100% normal ele disse que academia, ainda não é uma boa
    ideia. Mas quero, assim que ele autorizar, fazer hidroterapia ou mesmo
    hidroginástica também, até por que.. Digamos assim.. Adoro água!!!

    Contudo, o próximo raio X é daqui a 3 meses e pouco, e enquanto isso
    tenho que tratar da tal artrite generalizada que apareceu.. Alias, outro
    tratamento que está respondendo muito bem!

    Um abraço

    Fernando

  17. Tino
    maio 14th, 2013 at 15:07 | #17

    Oi Debora,
    estou com problemas serios de dor apos 3 anos de cirugia, poderia me passar o telefone do seu medico

    Grato

    Tino
    @Débora

  18. Débora
    maio 15th, 2013 at 09:55 | #18

    Oi, Tino! O tel: 2491 9683- Dr. Mendel – o consultório dele fica na Armando Lombardi- Barra da Tijuca.
    Ele é um excelente profissional, ético, vai ser muito honesto em relação ao seu problema.
    Depois me conta , se conseguiu ligar para lá.
    boa sorte!

  19. Marinalda
    maio 15th, 2013 at 11:20 | #19

    Bom dia pessoal, gostaria de compartilhar a minha experiência.
    Há 3 anos e 4 meses fui submetida a cirurgia de artrodese em S1, L5 e L4, pois tenho discopatia degenerativa e também espondilolistese. Na época fiquei sofrendo com dores por 1 ano, pois os médicos demoraram para diagnosticar e quando diagnosticado falavam que eu era muito nova para fazer a cirurgia. Então uma conhecida me indicou um médico especialista renomado no assunto, o Dr. Asdrubal Falavigna, quando consultei com ele logo me orientou sobre tudo, explicando a necessidade de uma cirurgia o quanto antes, para não piorar a situação.
    Realizei a cirurgia que foi um sucesso, a recuperação foi desconfortável nos primeiros 30 dias, a sensação é que eu tinha uma placa de ferro nas costas, mas logo passou. Eu segui a risca as orientações do médico, fazendo alongamentos nos primeiros dias da recuperação e com 30 dias comecei a fazer natação, fiz durante 1 ano, foi ótimo me ajudou muito.
    Hoje eu faço musculação para reforço muscular e a mais de 1 ano eu comecei a correr, faço percursos não muito longos (10km), esse ano estou aumentando o percurso e até momento está tudo certo. Pretendo fazer uma meia maratona (21km) em novembro deste ano.
    Não sinto dor quando corro, está sendo ótimo, até porque ao fazer uma cirurgia de coluna logo pensamos que não vamos mais conseguir fazer nada, pois a grande maioria das pessoas pensam e falam isso, ao contrário se exercitar de forma correta e com acompanhamento é muito melhor que se tornar uma pessoa sedentária.
    Mas é sempre importante lembrar o acompanhamento do médico e do profissional de educação física na realização das atividades é primordial para o sucesso da recuperação!
    Marinalda – Caxias do Sul-RS

  20. maio 15th, 2013 at 12:16 | #20

    Oi Marinalda, tudo bom?

    Muito legal você compartilhar sua experiência por aqui e mostrar que,
    também em alguns casos, a artrodese pode sim ajudar a melhorar e muito a
    qualidade de vida da pessoa.

    Eu mesmo melhorei bastante, e só não digo que recomendo essa
    cirurgia por que cada caso é um caso e ainda temos que ter certeza de
    ter escolhido um bom médico antes de a fazer.

    Como podem ver, eu, você, a Débora.. Tivemos essa sorte, mas há
    muitos comentários aqui de gente que não teve também, especialmente
    ressaltando o caso do Werner que, claro, como já falei pra ele, penso
    que devia trocar de médico, em primeiro lugar, e, talvez até refazer a
    cirurgia com outro profissional. Muito raro um caso como o dele.

    Sabia que eu também sou de Caxias? Sim, nasci e vivi meus primeiros 8
    anos aí, agora moro em Pelotas.

    Um abraço

    Fernando

  21. maio 15th, 2013 at 12:18 | #21

    Obrigado por colocar o telefone aí. Fica uma boa alternativa para aqueles que precisam procurar. No caso do RS fica como referência o médico da Marinalda e o meu, João Ivan Lopes, em Pelotas. Também já vi e falei com duas pessoas que fizeram essa cirurgia com ele e as duas ficaram excelentes!

    Um abraço

    Fernando

  22. Marinalda
    maio 15th, 2013 at 16:08 | #22

    Pois é Fernando infelizmente algumas pessoas não tiveram a mesma sorte que nós, mas é importante sempre investigar o médico com que consultamos, principalmente em caso cirúrgico. O Dr. Asdrubal Falavigna também opera no Rio de Janeiro, caso alguém tenha interesse esse é o fone do consultório dele em Caxias do Sul-RS 54-32220684.
    Que legal que você é de Caxias, eu na verdade eu sou de Torres-RS, mas moro em Caxias a 9 anos.

  23. Rita
    maio 17th, 2013 at 00:07 | #23

    Olá Fernando,
    Eu já fiz uma cirurgia de dissectomia na l5 s1 há 6 anos. Há alguns meses venho tendo crises de ciatalgia, com três internações, fortes dores nas pernas e parestesias nos dedos do pé esquerdo. Numa dessas crises minha família teve que chamar o resgate e fiquei 4 dias sem poder me mexer no hospital, os remédios não faziam efeito tamanha a dor (até o vento fazia doer). Meu médico indicou essa cirurgia de artrodese. Quando eu vi o que e como é, fiquei com medo. Eu sei bem o que é um pós operatório de coluna. Mas imaginei que da artrodese fosse diferente, fosse pior. Estava me preparando para ficar mais de semanas deitada. Seu depoimento e o da Débora me deixaram mais tranquila. Quanto aos riscos, meu médico já alertou quanto a perda de movimentos e tudo mais. Inclusive alertou meus familiares quanto a minha permanência na UTI nas primeiras 24 horas, tamanha a gravidade da cirurgia. Já estou com a cirurgia marcada para daqui a 10 dias. Mas, mesmo assim, ainda bate um frio na barriga. Obrigada por partilhar o sucesso da sua cirurgia.

  24. maio 17th, 2013 at 15:55 | #24

    Olá Rita..

    Tenho várias considerações a fazer sobre seu comentário:
    Sobre a cirurgia, vá em frente, realmente é uma alternativa muito boa
    pra acabar de vez com a dor (Se a causa da dor é realmente essa:
    Hérnias, discopatia degenerativa, etc). Mas:
    1) Riscos de Paralisia são mínimos, algo em torno de 3% ou próximo
    disso.
    2) Você vai fazer enxerto ósseo?
    3) UTI por um dia inteiro? Eu se quer fui pra UTI, fiquei algumas horas
    na sala de recuperação e depois fui para o quarto direto. Também não
    ouvi falar de algum outro caso que tenha ficado na UTI por um dia
    inteiro somente por conta do pós-operatório. Muito estranho isso,
    sinceramente.
    Onde você vai operar? Com que médico?
    Sugiro sempre pesquisar na internet referências ao mesmo antes de se
    submeter a uma cirurgia com ele…

    Bom, deixo então essas pequenas coisas para você pensar.. E de qualquer
    forma, lhe desejo boa sorte! Volte aqui para contar pra nós o que
    decidiu e o que deu do pós-operatório.

    Um abraço

    Fernando

  25. Gabi
    maio 24th, 2013 at 17:20 | #25

    Boa tarde Fernando

    Sou de São Paulo e vou fazer a artrodese dia 03/06 próximo. Passei por 6 especialistas, dos mais renomados aqui de São Paulo, inclusive do Hopital Albert Einstein e realmente meu caso é cirúrgico. Dentre estes 6 especialistas escolhi por um dos profissionais, que pesquisei e conhecí varias pessoas que este profissional operou. Em conversa com ele e com os outros percebi que aqui em São Paulo, as 24 horas após a cirurgia é realmente acompanhada na UTI para depois o paciente ir para o quarto. Acredito que esta conduta varia de acordo com o Estado dos hospitais envolvidos, pois mesmo no Hospital Israelita Albert Einstein é comum em praticamente todas as cirurgias serem acompanhadas pela UTI nas primeiras horas. A palavra UTI realmente assusta a todos, mas é o local mais adequado mesmo, pois como o nome já diz: Unidade de terapia Intensiva, ou seja você tem médicos, enfermeiros, fisioterapeutas em cima de você para que nenhuma surpresa aconteça.Portanto Rita, não se preocupe pois na UTI é realmente o melhor local para um pós operatório deste nivel.
    Abraços a todos.

  26. araldo
    maio 26th, 2013 at 13:06 | #26

    E ai Fernando!
    Gostei do seu relato, fiz essa cirurgia no dia 22 de dez de 2011, ou seja, quase 1 ano e meio, pena nao ter encontrado um blog tao esclarecedor do assunto naquele momento.
    Tenhos muitas du’vidas com relacao ao depois. Tive a sorte de ter tido um bom m’edico. Entretanto, vivo com vontade de fazer ressonância para saber como estã mina coluna.
    Eu nem sei se posso fazer esse exame com 6 parafusos e 2 duas hastes na coluna.
    Esse final de semana fiquei muito feliz com um feito qua para alguna pode ser bobagem, mas, para mim que tenho 44 anos e achei que nao fosse andar mais, pois, assim como você, jã nao andava mais, a ponto de sair de um mercado de cadeira de roda certa vez, corri 10 km em 54 minutos, nem acreditei quando isso aconteceu.
    Hoje sempre participo dessas corridas de rua, em sao paulo tem bastante.

    Ano que vem quero participar de uma meia maratona e me pergunto todos oso dias, serã que consigo completar uma maratona, sem causar um mal a minha coluna, maior do jã tem claro.
    Quero aqui dizer que quem estã com medo da cirurgia ou do põs operatõrio, eu respondo, se eu soubesse que a minha vida ficaria tao melhor , jã teria feito antes e nao ficar meses em cima de cama sofrendo por quase 6 meses, ai quando pensava que poderia andar, voltava em cadeira de rodas para casa.

    Agradeco todos os dias a Deus, por ter colocado na minha cirurgia um profissional competente e precisa da resposta ,E AINDA QUEM PUDER ME RESPONDER, SERÃ QUE POSSO COMPLETAR UMA MARATONA

    ABCS
    ARALDO

  27. Marinalda
    maio 28th, 2013 at 15:24 | #27

    Olá Araldo, eu também comecei a participar de corrida de rua após passar por cirurgia de artrodese, treino normalmente, mas ainda não fiz mais que 13km. E na minha última corrida que participei completei os 10Km em 47min, foi emocionante, pois é SUPERAÇÃO total para mim. Quanto a sua pergunta, é bem pertinente, eu também conversei sobre isso com os meus treinadores da Assessoria Esportiva Inspire que é onde faço meu treinamento, pois uma maratona é muito desgastante, exige um bom tempo de preparo, com treinos (planilhas) diários e intensos, e isso pode levar a aparecer alguma lesão. O que me foi informado é que o ideal é fazermos distâncias curtas. Mas não que possamos pensar que nunca poderemos completar uma maratona, acho que com força, fé e determinação é possível. Vou no meu médico nos próximos dias e vou conversar com ele sobre isso, e assim que tiver informações escrevo por aqui.

    Abraços,
    Marinalda.

  28. araldo
    maio 28th, 2013 at 22:56 | #28

    Olã Marinalda, agradeco pela resposta, essa semana vou fazer um treino na assessoria esportiva em que treino de 15 km, de preferência no feriado, acho que vou me inscrever para a meia aqui em sao paulo em julho. Mas, achei legal vc dizer que vai perguntar ao seu medico, vou querer saber a resposta sim, fico com medo de estar forcando por prazer que e correr e no futuro ter que fazer outra cirurgia. MAS GOSTARIA MUITO DE UM DIA PODER FAZER UMA MARATONA.
    ABCS
    ARALDO

  29. Mauricio
    maio 29th, 2013 at 12:16 | #29

    Olá a todos,

    Fiz uma artrodese em 01 de setembro de 2011. Sofri muito durante dois anos antes da operação, vários bloqueios, fisioterapia, natação, vários médicos, diversos remédios e muito mais. Resumindo tentei de tudo mas não teve jeito, tive que operar mesmo. Fiz uma artrodese lombar com 8 parafusos. O pós operatório foi uma tortura, fiquei 10 dias internado e fui para casa. Passei dois dias em casa gritando de dor, então voltei para o hospital o qual constatou infecção hospitalar. Fiquei mais 06 meses internado tive alergia com o antibiótico vancomicina, tive steve Johnson e muito sofrimento. Apesar de todo imenso sofrimento me encontro melhor do que antes da operação, ainda sinto muitas dores mas nada comparado com antes. Faço musculação, caminhada e consigo trabalhar e ter uma vida relativamente normal. A minha luta continua rsrs. Mas estou aqui para dizer que tudo passa. Boa sorte e fiquem com Deus

  30. Felipe
    maio 29th, 2013 at 19:28 | #30

    Olá todos,gostei mto dos comentários,também fiz uma artrodese l5 s1 no dia 08/05/13,não vinha sofrendo por muito tempo,minhas dores começaram em novembro do ano passado,enfim não havia remédios e injeções que tinha algum efeito definitivo em minha hérnia discal, amenizavam por algum tempo depois voltavam até minha perna direita travar contudo só tinha crises de dores quando estava fazendo algum esforço no meu caso em meu trabalho mas fiquei um tempo de repouso esperando o convenio autorizar minha cirurgia ao qual nesse tempo não tinha crises de dores.pela ressonancia magnetica meu médico me disse q meu disco estava muito gasto apesar da minha idade 24 anos,estava ate preto na imagem mas antes andava de moto ate dançava(não sempre pois não sou bom dançarino rsrs) na espera dessa cirurgia sem dores.
    Enfim ainda penso se realmente deveria ter feito essa cirurgia pois nao recorri a outros recursos como acupuntura e etc…,nem meu médico me aconselhou e ouvi muitos relatos que não resolvem,gostaria de saber a opinião de vocês sobre meu caso se realmente era cirurgico pois fico pensando se foi uma decisão leviana e desesperada.

  31. Pablo
    maio 29th, 2013 at 21:38 | #31

    Olá, gente, boa noite!
    Encontrei esse blog sobre artrodese lombar e resolvi deixar meu relato, pois, certa vez, também estive vagando pela internet, extremamente indeciso, em busca de informações que me ajudassem a decidir por fazer ou não a cirurgia.
    Fui submetido a uma artrodese lombar L4-L5 em 24 de maio de 2013 (sim, hoje é apenas o meu 6º dia pós-cirurgia e, inclusive, ainda estou em cima da cama).
    Após 7 anos de sofrimento, decidi fazer a cirurgia após minha última crise, no início de maio deste ano. Essa última crise foi SOBRENATURAL. Senti uma dor terrível, que nunca havia sentido antes. Voltei ao neurocirurgião e ele me disse que meu caso havia piorado, pois aparecera uma tal ‘migração caudal’. Ele disse que a chance de eu passar a ter crises mais severas e mais frequentes, por causa da piora, era muito grande. Não pensei duas vezes. Antes eu ‘fugia’ da cirurgia, mas depois dessa crise e dessa consulta decidi não mais passar por aquelas dores.
    Como eu já disse, hoje é meu 6º dia após a cirurgia. Meu pós-operatório está sendo TERRIVELMENTE DOLOROSO. Sinto muitas dores e não consigo fazer praticamente nada sem ajuda. As primeiras 24 horas após a cirurgia foram um verdadeiro pesadelo. Porém, não estive, em nenhum momento, arrependido, pois, quando penso em me arrepender, penso na recompensa, isto é, penso em nunca mais ter aquelas crises de novo. Hoje, passados 6 dias, começo a perceber uma tímida melhora, por exemplo, já me viro na cama de um lado pro outro, com MUITA dificuldade, mas já consigo.
    Resumindo, o pós-operatório é doloroso e mete medo, mas as crises de hérnia pela vida toda são piores.
    Abs

  32. Vinicio
    maio 30th, 2013 at 17:40 | #32

    Ola, achei o site bem esclarecedor e muito boa iniciativa dos envolvidos.
    Acho uma pena eu não ter tido a oportunidade de encontrar esse site antes de eu operar…..

    Como todos os mencionados acima, também precisei fazer uma artrodese lombar (L3-L4-L5), colocando 6 parafusos e 2 hastes, pois tive uma hérnia de disco entre 2 vertebras que já possuíam problemas (espondilolistese), com isso, meu disco praticamente escorregou para dentro da medula….

    começou com dores fracas na coluna e, como todos pensamos em muitas das vezes, tomamos uma analgésico ou relaxante muscular e continuamos nossas vidas aguardando a dor sumir…..

    mas dessa vez a dor não sumiu, pois eu já sabia da espondilolistese há anos, mas não sabia que meu disco havia herniado e escorregado, daí fui surpreendido em casa quando dei um simples espirro bem devagar, pois simplesmente, travou tudo e cai no chão de tanta dor…..(moro sozinho, então imaginem o sufoco que passei para levantar e ir ao hospital – quem já sofreu com isso, sabe e entende o que eu passei….)

    tomei remédios de urgência, fui pra casa e fiz exames durante a semana, mas as dores que estavam na coluna, de repente passaram para a canela esquerda se expandindo para o quadril……..(uma coisa horrível….sensação que tem uma faca te furando o tempo inteiro e que o quadril está quebrado….)

    voltei pro hospital, peguei os laudos dos exames e a apontou para a tal esperada cirurgia……(precisei ficar 3 semanas internado esperando a crise passar e aguardando o plano aprovar)

    operei, fui pra UTI (alguns vão pra UTI e outros vão para o quarto) com dreno nas costas e após 24 horas, fui para o quarto, sendo que, infelizmente, o pos operatório é muito sacrificante….(operei em 18-abr-13, sendo que os primeiros dias são realmente muito dolorosos, com analgésicos para tomar em casa). Isso é super normal, pois os pontos da cirurgia ficam repuxando e afinal de contas, uma parte do osso foi cortado durante a cirurgia para que o disco fosse retirado e, posteriormente, fosse inserido o cage entre as vertebras.
    Mas esse osso irá calcificar após alguns meses e ocorrerá a fusão óssea…

    Enfim, no inicio sentia minha perna melhor, mas atualmente, minha perna voltou a doer e esta dor está aumentando a cada dia……

    Meu medico disse que posso ter algumas possibilidades: inflamação no nervo em função dos movimentos durante a cirurgia (se for isso, o uso de analgésicos irá diminuir a dor com o tempo), algum fragmento do disco pode ter ficado na minha medula (se for isso, precisarei fazer uma microcirurgia para retirar este fragmento) ou sequela em função do risco cirúrgico (se for isso, sinceramente, nem meu medico sabe a dimensão que isso pode tomar)….

    Claro que bate uma frustração, pois apesar dos riscos, nós fazemos a cirurgia sempre pensando no melhor resultado.

    Mas não desanimem, pois a vida irá nos colocar de joelhos em vários momentos e cabe a nós decidirmos se iremos ou não permanecermos de joelhos….

    Eu não estou tendo êxito até o momento, mas estou fazendo exames a fim de detectar o motivo dor e, “torço” para não ser sequela….

    Como todos sabem, cirurgia deve ser feita só no ultimo caso, mas não se assustem, pois na maior parte das vezes, ela é muito bem sucedida, pois existem médicos capacitados e recursos de ultima geração que auxiliam a cirurgia. Procurem especialistas no assunto a fim de obter sucesso no processo.

    Se seu caso for “somente” hérnia de disco, talvez seja interessante conversar com seu medico sobre a possibilidade de fazer um processo cirúrgico chamado artroplastia (feito pelo abdômen) ao invés de artrodese….

    Enfim, para hérnia existem diversos tratamentos, tais como: artroplastia, laminectomia, foraminotomia, artrodese….(procurem se informar com o medico sobre a real necessidade de colocar parafusos)

    Meu caso era de artrodese em função de tudo que foi explicado, mas procurem muita orientação antes de operar.

    Espero que todos obtenham êxito nos tratamentos…
    Um abraco,
    Vinicio

  33. Vinicio
  34. Luiza
    maio 31st, 2013 at 01:47 | #34

    Fiz a cirurgia com colocação de 2 pinos no dia 24/04/2013. Estou andando e levando vida normal, mas não posso dirigir até recuperar os movimentos dos dedos do pé esquerdo (e também a força no pé esquerdo) e ando mancando um pouco, porém cada vez menos. Comecei a usar um aparelho de plástico no pé afetado chamado splint e não sei se realmente adianta, dizem que acelera a recuperação. Só sinto dores nas costas quando tusso ou espirro, mas acho que é devido ao pouco tempo da cirurgia (pouco mais de 1 mês). Será que estou demorando muito para voltar ao normal? Fiz a cirurgia que já tinho sido recomendada antes, mas fiquei adiando, porque “travei”das nádegas para baixo por causa de dor ciática. Será que as dores passam?

  35. Isabel
    junho 4th, 2013 at 01:09 | #35

    Fernando obrigada por essa oportunidade. Pessoal, li todos os post e sou grata a todos por compartilharem seus casos. Passei pelo que a maioria passou com as dores na perna esquerda, tanta dor que nos tira a qualidade de vida a qual para mim é tudo. Me submeti a uma artrodese com 6 pinos. Nada senti quanto a ficar deitada sem sair da cama por 24h – banho de gato etc… sonda, soros e medicamentos.. Dores normais as quais foram medicadas. Permaneci no hospital por 6 dias. Após 24hs comecei a caminhar e SEM colete. Me médico não é a favor do colete. Mas continuei a ter dor na perna esquerda, também VINICIO. Mas o médico pediu para aguardar para acharmos o que seria. Uma sensibilidade a Manipulação da cirurgia, Algum fragmento ósseo, etc… Primeiro fiz uma Tomografia o que constatou que os parafusos estavam perfeitos e não tinham “triscado” algum osso. Após 40 dias fiz uma ressonância, ele pediu que assim fosse, pois antes desse tempo apareceria somente edemas. Constatou-se o que eu já previa… em 5% dos casos de Artrodese pode aparecer uma Hernia discal o que é meu caso. Estou pronta para a próxima cirurgia a qual deveria ser hoje se não fosse o convênio.. Estou dirigindo e sou obrigada a subir 17 degraus o que não faço a todo momento. Mas estou bem, dentro do quadro de cirurgia de coluna. No inicio as dores são de fato pela manipulação cirurgia, na tosse, espirro, virar de lado…mas passa.
    Quero deixar aqui uma opinião a todos que já operaram e que poderão operar.
    – Precisamos quebrar o mito que cirurgia de coluna irá paralisar. raríssimos casos podem ocorrer.
    – Cirurgia minimamente invasiva não é para L4 L5 e S1(meu caso)
    – Dores e complicações podemos ter por NÃO cumprirmos as ordens médicas corretamente. Meu médico pediu repouso relativo. Cama – banho – banheiro – refeições e cama na primeira semana após o hospital. Depois andar devagar dentro de casa.
    – Aprendi também que muitas cirurgias não tem o devido sucesso pelo paciente adiar tanto tempo que as complicações nas vértebras vão aumentando a cada dia principalmente quando há degeneração óssea, espondilolistese (meu caso),
    – Devemos cuidar com as informações na Internet, pois algumas realmente fazem um verdadeiro terrorismo.
    – Confiar no Profissional é fundamental
    – No mais, temos que confiar em Deus que cuida de cada um de nós e maravilhosamente nos fez únicos, por isso cada um reagirá de forma diferente ao mesmo procedimento.
    Sou de Valinhos – SP mas operei em São Paulo no Hospital Alemão Oswaldo Cruz e fiquei em recuperação por lá.
    Creiam que tudo isso irá passar.
    Deus abençoe a cada um com paciência, obediência, gratidão e esperança de um dia sem dor e uma noite bem dormida. Abraços

  36. Isabel
    junho 4th, 2013 at 01:13 | #36

    Completando . Cirurgia dia 25/03/2013 – 70 dias hoje.

  37. junho 5th, 2013 at 07:58 | #37

    Realmente, já ouvi falar no fato desse procedimento ser padrão em SP
    depois do que escrevi e isso não é ruim e nem tão pouco me assustaria
    pelo fato do acompanhamento constante por médicos e etc. As primeiras 24
    horas são cruciais e também bastante dolorosas. Contudo, de minha parte
    foi até melhor senti-las no quarto onde tinha meu PC por perto e os
    respectivos livros pra ler dentro dele, o que facilitou a passar essas
    primeiras horas, e junto com a bateria de analgésicos a aguentar a dor.

    Como foi sua cirurgia? Comente sobre isso aqui conosco…

    Um abraço

    Fernando

  38. junho 5th, 2013 at 08:04 | #38

    Olá Araldo..

    Fico feliz que esteja se sentindo tão bem assim.. Eu mesmo embora ainda
    sinta algumas dores (Fruto de problema reumático) já melhorei bastante
    com essa cirurgia e esse fim de semana ainda estive em Belém do Pará
    dando uma palestra relacionada ao dosvox, um dos sistemas que uso para
    leitura de telas no PC (Nem teria pensado em viagem tão longa do jeito
    que tava antes da cirurgia) e o fato de poder voltar a fazê-las para mim
    também foi um grande ganho. Contudo, embora se dê bem com as corridas,
    vá com calma com as maratonas grandes, pouco se sabe sobre grandes
    esforços depois de uma artrodese lombar e suas consequências; Se você
    está tendo uma recuperação tão boa assim, ótimo, volte à sua vida
    normal, corra de vez em quando, mas não abuse pra não ter que,
    eventualmente, vir a se submeter a outra intervenção ou algo do tipo.

    Um abraço

    Fernando

  39. junho 5th, 2013 at 08:07 | #39

    Olá!
    Vou verificar isso também, com meu médico e na internet, e se tiver novidades retorno. Já ouvi falar de gente que voltou até a jogar futebol, depois da cirurgia. O importante é seguir as limitações que teu médico e a própria possível dor venham a impor, e, claro, não exagerar.

    Um abraço

    Fernando

  40. junho 5th, 2013 at 08:16 | #40

    Olá Mauricio..

    É por isso que a maioria dos médicos considera a cirurgia uma última
    opção, quando nenhum outro tratamento resulta mais; E é por isso também
    que nós, pobres mortais pacientes, devemos considerá-la também como
    último caso. Eu mesmo não operei exatamente em último caso mas a
    dormência na perna esquerda e dor lombar estavam ficando bem avançadas e
    eu não conseguia mais nem dormir direito e tinha que tomar analgésico
    forte pra “aguentar”. Contudo, meu convênio não cobre fisioterapia,
    acupuntura e outras alternativas que eu talvez pudesse ainda ter tentado
    antes, ainda em 2011, quando as dores começaram, pra atrasar o processo.
    (Pelo menos não cobre lá em Pelotas). Então, no fim das contas talvez
    isso tenha até (Pela falta de outras atitudes) colaborado com o
    adiantamento do processo de desgaste do disco..

    Contudo, o jeito é levar a vida a diante e esperar que tudo passe de
    como está agora pra melhor!

    Um abraço

    Fernando

  41. junho 5th, 2013 at 08:25 | #41

    Olá Felipe.
    Meu caso foi quase igual ao seu, exceto o fato de eu não ter tentado
    quase nada além dos analgésicos por que claro, o convênio não cobre e é
    caro. A maioria dessas alternativas são caras…

    Meu disco também já apareceu preto na imagem de 2009, quando fiz a
    primeira cirurgia (A de hérnia), se eu não fiz a artrodese naquela época
    foi por que resolvi atrasar ao máximo ela, ainda que tivesse voltado a
    sentir dor (Depois da primeira cirurgia) só em 2011, e, claro, ainda
    assim atrasei o máximo que pude, indo fazer a intervenção só no início
    de 2013.

    Se você estava sentindo dores fortes, não penso que tenha sido uma
    decisão leviana, mas… Seu médico já investigou a possibilidade de
    problema reumático? Pergunto por que eu fui só considerar com meu médico
    essa possibilidade depois de feita a cirurgia e passados uns 2 meses.
    Então voltei a sentir dores nas costas, joelhos, mãos e pés e então
    resolvemos estudar essa possibilidade (Para a qual já estou fazendo
    tratamento).
    De qualquer forma, a dica que dou é: Considerem todas as possibilidades,
    antes da cirurgia. Inclusive a de ela não resolver completamente o
    problema da dor. Depois, verifiquem se vai valer apena e conversem
    aberta e francamente com o médico; Se acharem que vale apena, então
    tomem a decisão e boa sorte!

  42. junho 5th, 2013 at 08:31 | #42

    Olá Pablo!

    Como você está agora, já está em casa? E as dores, melhoraram?
    Realmente, sentir dor durante o resto da vida ninguém merece. Um dos
    motivos que me levou a fazer a cirurgia além do conselho do médico e a
    situação do meu disco l4/l5-l5/s1 foi justamente a dor a qual
    analgésicos já quase não adiantavam mais. Mande notícias pra nós sobre
    sua recuperação!

    Um abraço

    Fernando

  43. junho 5th, 2013 at 08:37 | #43

    Olá Vinício!
    Muito bom e importante seu depoimento, obrigado também pelo material que postou. Como está seu quadro agora? Mande notícias se houver novidades.
    Realmente esses casos de piora da dor depois da cirurgia podem acontecer pelos motivos que postou e outros mais (Como já foi relatado por alguns aqui), por isso compartilhe com a gente a evolução/regresso desse quadro.

    Um abraço

    Fernando

  44. junho 5th, 2013 at 08:47 | #44

    Olá Isabel..
    Também, recomendo que procurem informações sobre seus médicos na internet e através de outras pessoas que fizeram cirurgia
    com o mesmo… As informações na internet podem ser duvidosas no quesito
    técnico mas no lado prático dificilmente são, por isso a internet serve
    como referência (Bem como as outras pessoas que você sabe que fizeram a
    cirurgia com o profissional com o qual você está pensando em fazer).
    Quanto à questão da paralisia, estatisticamente só ocorre em 5% dos
    casos, contudo, é mais uma razão para procurar referências sobre o
    médico com o qual você vai fazer. Antes de entregar a coluna na mão dum
    médico precisamos saber muito sobre ele ou, no mínimo, muito sobre a
    clínica na qual trabalha, pelo menos é a minha opinião e creio que
    muitos aqui vão concordar. Como você está agora? Sobre “pronta para
    outra cirurgia”, também receio ter de discordar. Existem outros métodos
    de resolver hérnia de disco sem artrodese. Veja se algum não lhe é
    conveniente primeiro. Você sabe como o pós operatório dessa cirurgia é
    chato… A gente não se submete a isso sem ter tentado algo antes, ou,
    no mínimo, atrasar o máximo que pode..

    Um abraço

    Fernando

  45. junho 5th, 2013 at 08:54 | #45

    Oi Luiza!

    Essa questão dos movimentos nos dedos dos pés, você falou com seu médico
    sobre ela? Talvez já seja hora de uma fisioterapia ou algo assim, mas
    primeiro penso que seja bom verificar se não houve algum tipo de lesão
    antes ou durante a cirurgia. Dependendo da situação, pelo que li, pode
    levar meses pra você se recuperar plenamente, mas é bom falar
    abertamente com o médico e notificar que nem tudo está bem. Quanto às
    dores nas costas em movimentos ou quando espira ou tosse, é natural, nos
    primeiros pontos. Durante a cirurgia se mexeu com osso, se fez uma
    incisão grande, em fim, tem vários fatores que poderiam provocar dor
    nessa situação. O problema dos pés é que não é normal e você deve
    investigar.
    Depois nos conte o resultado aqui…

    Um abraço

    Fernando

  46. Marinalda
    junho 5th, 2013 at 17:32 | #46

    Olá pessoal e ARALDO, como prometido em meu comentário do dia 28/05 venho compartilhar informações que busquei junto ao meu médico.
    Hoje fui realizar consulta anual que faço desde que fiz a cirurgia, no exame de radiografia tudo ótimo, fixação dos pinos e tudo mais! (confesso que fiquei muuuuito feliz).
    Conversei muito com ele a respeito da atividade física, mais especificamente da corrida. O que ele me explicou é que sim podemos fazer uma maratona ou correr outras distâncias mais. Sendo de extrema importância todo o acompanhamento, treinamento físico (músculos fortes), um bom tênis e o nosso peso, ele me relatou que o peso é muito importante, sendo de acordo com o nosso corpo (leve) não vai gerar sobrecarga no corpo e consequentemente não vai doer. Que devemos pensar que somos iguais aos demais, que não adianta fazermos a cirurgia e ficarmos parado isso só vai piorar temos que nos movimentar.
    Então Araldo bora correr… verifique com seus treinadores a opinião deles. Bom que a corrida faz com que consigamos manter um bom peso.
    Em novembro vou fazer minha 1ª meia maratona, vamos ver o que vai dar. Abraço.

  47. Vinicio
    junho 10th, 2013 at 11:45 | #47

    @fernando

    Sexta feira (14/06/13) terei os laudos da tomografia e eletromiografia a fim de detectar possíveis fragmentos e/ou sequelas.

    Trarei as noticias aos envolvidos durante o próximo final de semana.

    Algumas pessoas se recuperam mais rápido após a cirurgia de coluna, com isso nem todas necessitam passar por sessões de hidroterapia, entretanto eu precisei e a partir da segunda sessão de hidroterapia, já conseguimos soltar os músculos costurados e já conseguimos retomar nossos movimentos.

    Caso alguém tenha dificuldade de locomoção após a cirurgia, assim que o medico liberar, procurem hidroterapia, pois ajuda muitíssimo o tratamento.

    Claro que você fará umas 10 ou 20 sessões e, posteriormente, fará hidroginástica, pilates, natação….(mas tudo ao seu tempo).

    Respeitem os limites impostos pelo pós operatório e lembrem-se:

    “100% de esforço aonde houver 1% de chance…..”

    Um abraco

  48. Thiago Coelho
    junho 12th, 2013 at 15:18 | #48

    Fernando, boa tarde.

    tenho 27 anos. Já faz uns anos que sinto dores.. desde 2009 tenho ressonancias que mostram minha L4-L5 e L5-S1 bem desgastadas.

    sempre fui de praticar mto esporte, quase todo dia…
    mas já faz mais de ano que não consigo entrar numa quadra , jogar um futebol, somente de tentar correr fico com dores fortes..
    evito espirrar em pé, senão sinto toda força vindo pra coluna (preciso sentar rapidamente).

    Já tentei RPG, acupuntura, FIsio por meses e nada…

    enfim, fui num cirurgiao de colunas (onde minha mãe tb operou o ombro com ele) e ele me indicou a cirurgira.

    somente conhecia a cirurgia com pinos FIXOS.. ele me mostro uma que são pinos MOVEIS e disse que isto fará com que estes pinos possibilitem a vertebra acompanhar as demais vertebras, evitando assim que elas acabem por desgastar e eu tenha que fazer nova cirurgia em 4 anos, por ex…

    fiquei bastante interessado, visto que hj estou sem vida ativa neste sentido. não consigo ficar em pé mais que 5 minutos que sinto dores.

    enfim, estou mto disposto a enfrentar isto, afinal, ou isto vai me melhorar ou vai me deixar do jeito q estou…

    a cirurgia tá marcada pro final deste mes e como tenho 27 anos, e não aguento mais esta dor, to decidido a isto.

    queria ver se todos que vc conhece fizeram com esta opção de pinos moveis ou não ?

    abraçosssss
    Thiago Coelho

  49. Thainá Estrela
    junho 13th, 2013 at 17:55 | #49

    Fernando! Tenho 6 meses sentindo dores insuportaveis na região lombar e como sou animadora de resort de lazer aqui na Bahia foi assustador pra mim ir ão ortopedista e logo apois a realização de uma RM foi detectada a hérnia em L4-L5 S1. Na verdade fiquei desesperada pois amo atividades fisica e trabalho com isso, já travei 2 vezes entre outras coisas horriveis, fui em 3 especialistas em coluna e dois me indicaram cirugia e des de então passei a estudar sobre o caso. Seu blog e todos os envolvidos me ajudou muito a ficar um pouco calma, agora estou aguardando o plano autoriza a cirugia mas continuarei por aqui, estou na 4 secção de acuputura e não vejo mudança. Salvador -Ba

  50. Luiza
    junho 16th, 2013 at 23:42 | #50

    Oi,
    Estou retornando conforme você pediu, desta vez após um mês e meio da cirurgia. Falei com meu médico sobre os dedos e o pé esquerdo, conforme você recomendou e ele disse que aos poucos volta ao normal. Realmente, há uma semana voltei a dirigir e os 4 dedos pequenos dos pés já estão começando a subir. O dedão é que está demorando muito, melhorou só um pouco. Fiz 10 sessões de fisioterapia e agora vou começar com a hidroterapia. O que você acha?

Comment pages
1 2 3 10

Add reply

RSS
Follow by Email