Archive

Archive for junho, 2007

jun
30

Oi turma!!

Quanto tempo, né?

Hoje, trago para vocês mais um texto do Pedro Cardoso da Costa, falando
de umas “vacas caras demais” e outras formas estúpidas que políticos no
Brasil usam pra justificar certos dinheiros que aparecem,
misteriosamente, em suas contas.. Vamos ao texto:


VACAS FANTASMAS


No Brasil a elite dominante cria certos vícios que se perpetuam. Um, de
resultados deprimentes, seria o fato de algumas pessoas não serem alcançadas
pelas leis, em razão de uma Justiça formalista e comprovadamente ineficaz,
apesar do clichê de que a norma seja igualmente para todos. O processo de
Renan Calheiros no Conselho de Ética no Senado e as suas provas malucas são
atestados recentes dessa cultura da impunidade.
No início do episódio, o presidente do Senado negou tudo. Depois afirmou
que o lobista de uma das maiores empreiteiras brasileiras agira apenas como
seu boy. O dinheiro vivo, apesar da montanha, voava por Brasília em sacolas
como se tornou praxe recente. Justifica-se. É muito mais prático carregar
cem mil em sacos de lixo a efetuar uma transferência bancária. Todo dinheiro
era do senador, comprovado com empréstimo bancário adquirido somente nove
meses – nove meses! – após o pagamento. Só um senador tem condições de pagar
uma dívida com dinheiro vivo adquirido nove meses depois. Era dinheiro
fantasma literalmente. Não poderia ser desse mundo.
Mas, veio explicação terrena de que o empréstimo era para repor o dinheiro
do pagamento da pensão. Oras, mas só justificativa de senador é aceita de
que o dinheiro era para auto-repor-se. Parece aquela frase da encrenca
Caetano-Lobão. Não seria plausível se viesse de um normal!
Todo esse mistério era desfeito quando o Brasil ficou sabendo que se tratava
de um senador-fazendeiro. Aí, apareceram as vacas fantasmas. Ou de ouro. Não
se discuta que as vaquinhas existiam; apenas que foram vendidas a
compradores inexistentes. Destas, Renan apresenta todos os recibos. Não os
tem, nenhum, nenhum, da única pessoa que afirmou ter comprado as vacas de
ouro. Sim, porque o maior preço da arroba era no rico estado industrializado
de São Paulo. Era que não se tinha conhecimento das opulentas vacas
“renenianas? no seco Agreste Alagoano.
Tudo isso corresponde à seriedade com que o Conselho de Ética agiu.
Primeiro, o senador-delegado Romeu Tuma disse que queria absolver. Só no
Brasil e na linha do dinheiro-fantasma de Renan, o investigado tem o
veredicto antes da abertura do processo. Mas, Epitácio Cafeteira substituiu
o delegado. Nem precisou copiar a sentença. Serviu a do próprio delegado.
Para sintetizar: o veredicto veio antes da abertura do processo; não houve
necessidade de ouvir a parte contrária, com “cem por cento de respeito ao
princípio constitucional do Contraditório?. O coroamento de tamanha
seriedade veio a condução do processo pelo próprio réu. Ele determina a
abertura, o foro competente, marca o julgamento e, quando percebe a falta do
quórum absolvidor Romeu-Epitácio, adia o julgamento. Como o Brasil é
enaltecido pela criatividade, instituiu-se o auto-réu-juiz; ou o
auto-juiz-réu!
Para completar este festival de heresias, bem que o presidente Lula poderia
definir quem seria mais ingênuo ou bagrinho, se seu irmão tolinho ou o
senador-presidente. Muito ingênuo para um segundo substituto à presidência
da República.

Pedro Cardoso da Costa – Bel. Direito

Interlagos/SP


E então? Só deixo um pequeno comentário, antes de me despedir: Quem vai
mudar o Brasil não é o governante.. Não adianta entregar o país na mão
dos outros e ficar jogando todas as soluções nas mãos dos políticos por
que se cada um de nós não fizer sua parte… Não que eu queira achar que
os políticos não tem culpa no cartório, pelo contrário… O que acho é
que o Brasil só vai começar a mudar quando agente cooperar com a solução
dos problemas, e parar de entregá-los nas mãos dos outros…

Abração

Fernando

jun
14

Oi turma!!

Tudo bem? Pois.. Comigo tudo..

Hoje trago aqui mais um texto do Pedro Cardoso da Costa, falando sobre o
quadro Soletrando, do Ruck, que creio que todos vocês devam conhecer…

Eu, particularmente, não gosto muito desse quadro, acho que ele além de
demonstrar a baixa qualidade do ensino no Brasil, atualmente, ainda está
“endeusando” aqueles que demonstram ainda saber pelo menos como se
escreve corretamente uma palavra… Bom, mas sem mais comentários, por
que senão ainda vão arrancar minha cabeça.. Vamos ao texto:


AMPLIAR O “SOLETRANDO?

Pedro Cardoso da Costa

A criação do quadro “Soletrando? no programa do Caldeirão do Ruck foi, além
do ineditismo, uma das boas iniciativas da televisão aberta nos últimos
tempos, apesar de iniciativa tímida.
Esse quadro não recupera nem atinge os milhões de telespectadores de
novelas, mas pelas notícias cresceu de audiência com os passar dos
programas. Teve um formato muito rápido, por isso os resultados foram bons,
mas poderiam ter sido ainda melhores. Deveria ter sido mais duradouro, quem
sabe apresentando a finalíssima de cada estado.
O principal resultado seria escancarar como anda ruim o ensino nas escolas
públicas. Também pode mostrar que pode haver ensino de qualidade em escola
pública. Deixa claro que depende mais de esforço e criatividade de seus
diretores, do que de autoridades governamentais distantes, como prefeitos e
governadores. Embora o ideal seja a integração de todas.
Também fica restrito à soletração de palavras. Seria bom ampliar o tema para
colocar assuntos variados da Língua Portuguesa.
As demais emissoras deveriam seguir a linha adotada pela Rede Globo. E nem
podem alegar que não querem plagiar, tendo em vista que em televisão tudo se
copia, com outro nome.
As empresas deveriam colaborar com a criação de políticas de conhecimento
geral, exigindo a leitura de livros por parte de seus funcionários. Mesmo
que seja de matérias ligadas à área da empresa. A Volkswagen distribui
panfletos mostrando como se escrevem corretamente várias palavras. Essa
iniciativa poderia ser adotada até em sacolinhas e saquinhos de mercado, de
padaria, de bazar e por todas as casas comerciais. Os jornais poderiam
criar um espaço para a educação, dividindo o destinado às ocorrências
policiais.
A Globo deu um passo muito importante, mas precisa ampliar de nível de
escolaridade, de matérias, de programas e de tempo de duração. Uma pena que
um programa tão importante tenha durado bem menos do que o Big Brother
Brasil.

Pedro Cardoso da Costa – Bel. Direito
Interlagos/SP


E então? Comentem! Digam o que acharam nos comentários..

Abração!

Fernando

jun
10

Oi turma!

Tudo bem?

Aqui, agora tudo..

Pois é.. Creio que enganei muita gente, né? Garanto que todos, (ou quase
todos), pensaram que eu ía falar de dinheiro, afinal, por “$”, o que se
pode pensar?? Pois bem, ta na hora de mudar os paradigmas cifrionais…

Caramba.. Vocês sabem quando, realmente, um $ faz diferença? Pois..
Imaginem eu, com a ideia de colocar um contador nesse blog.. Ainda não
ficou exatamente como eu queria, mas já dá pro gasto… O problema é que
fui tentar usar session_start no contador, pra ver se ele criava
vergonha e não contava mais de uma vez a mesma visita, o problema é
que.. Chegou um momento em que, sem querer, durante os testes, consegui
até fazer o blog não funcionar… Motivo? A falta de um $, no nome da
variável, e a falta também de um “}”… Quem conhece programação sabe:
Um “;”, um “‘”, um “)”, pode quebrar a cabeça de um programador,
deixando-o horas, horas e horas no mesmo código tentando achar a fonte
do problema.. E o pior é que quando acha, geralmente tem de ficar
indignado, por que o motivo, era uma droga dum sinalzinho qualquer.. Uma
aspas, uma chave, um parênteses, um ponto-e-virgula ausente ou fora do
lugar, em fim.. Geralmente a coisa mais simples que se pode imaginar…
E isso é um absurdo!

E o pior é que na vida, em geral, a coisa também é assim: Normalmente,
um problema que as vezes parece “insolúvel”, pode ter uma solução tão
simples que quando a conseguimos imaginar, saímos xingando o mundo por
não “ter pensado nisso antes”… Absurdo, né?

Mas em fim.. Aqui, estamos falando de programação: Eu retirei o
session_start, depois de ter batalhado pra fazer ele funcionar,
simplesmente por que ele não funcionou de todas as maneiras que eu
tentei, e por isso, preciso ler mais sobre o código antes de tentar
novamente… Talvez eu consiga fazendo algumas das funções do counter
retornarem o resultado para uma variável.. Afinal, a coisa está
funcionando mais como procedure do que como function, pelo pouco que eu
vi…

De qualquer forma, pude reparar que aquele contadorzinho é poderoso, e
tem um monte de funções interessantes…

Quem quiser baixar, experimentar, e, claro, comentar depois o que achou
e o que conseguiu fazer com ele, o link é:

http://www.evelyns-place.com/redireciona/counterize.htm

E, se alguém conseguir fazer ele contar só uma vez e puder me dar a
dica, (se eu não chegar primeiro,eeeee), deixe-a nos coments!!!

Abração, e aguardo os comentários..

Fernando

jun
09

Oi turma!!

Lembram que eu havia prometido por algum tempo não postar mais coisas de
humor nessa jóça? Pois.. O que prova que as vezes agente.. Digamos
assim.. Tem que engolir o que diz…

Na verdade, eu havia falado da questão do humor por falta de movimento,
nessa coisa, mas agora, como parece que o negócio ta melhorando, estou,
digamos assim.. “quase voltando” com a seção de humor, então..

E a história que trago hoje é o seguinte: Sabem aquele negócio que
agente lê, super empolgado pra que logo chegue o final, e quando ele
chega.. Dá vontade de distribuir alguns cascudos, pra quem escreveu e
quem mandou também?

Pois.. Assim é.. Leiam o texto abaixo, e depois.. Não arranquem minha
cabeça, por que “eu”, não tenho culpa… Vamos a ele:


A História Do Tchum


Eduarda Zimmermann Becker

Gaspar, SC

Estrelando: Diniz!

Certa tarde lá estava Diniz. Da janela de seu apartamento observava o
movimento de Curitiba quando, de repente, ouviu de longe um coral:
“Queremos ver o tchum! Queremos ver o tchum!”
Esperou que a turma se aproximasse e lá vinha André, Duda, Evangel,
Magno, Renato, Alex, Estevão, Luana (Que comandava o coral, fazendo um
ritmo no bongô) e mais muitas pessoas. Todos cantavam alegremente:
“Queremos ver o tchum! Queremos ver o tchum!”.

Sem entender o que acontecia, Diniz resolveu descer e seguir a turma,
pois ficou curioso para também ver e saber o que era o tal do Tchum.
Andou alguns minutos, mantendo uma pequena distância do grupo e os viu
entrar num salão enorme, quando ia entrando, o segurança Luidi, com toda
sua pose disse: “Onde você pensa que vai?” Assustado com aquele vozerão,
Diniz respondeu: “Quero saber o que é esse tchum”
Sem perder tempo, Luidi foi logo dizendo: “não não não, meu caro! Para
ver o Tchum temos uma senha, não é qualquer um que pode vê-lo. Se quiser
ver o Tchum amanhã, é necessário pagar uma quantia de R$50000,00. E
também precisa seguir a turma que virá vestida com um macacão preto e um
coelhinho azul, de pelúcia”

Diniz estranhou aquela história de coelhinho, macacão mas, concordou em
pagar o dinheiro e prometeu aparecer com a turma, no dia seguinte.

Na mesma hora, Diniz já aguardava-os na frente do prédio, vestido como
fora pedido e carregando nos braços o coelhinho. Lá vinha a turma:
“Queremos ver o Tchum! Queremos ver o Tchum!” Diniz foi logo
seguindo-os. Ao chegarem, todos entraram e o pobre Diniz foi barrado
por Luidi: “Desculpe-me, inesperadamente a senha mudou e a quantia
aumentou. Para ver o Tchum, você terá que voltar amanhã, mas com um
chapéu e havaianas amarelas e pagar agora R$100000,00”
Inconformado com aquilo, mas ao mesmo tempo curioso, Diniz pagou mais o
que lhe foi pedido e prometeu voltar com chapéu e havaianas amarelas.

No dia seguinte lá estava Diniz, chapéu e havaianas amarelas, menos
dinheiro no bolso pois Luidi já lhe tirara R$150000,00. Tudo para ver o
Tchum.
Lá vinha a turma, num coral com centenas de vozes: “Queremos ver o
Tchum! Queremos ver o Tchum!” Diniz juntou-se a eles e rezava para que
não fosse barrado na entrada do salão. Ao chegarem… Novamente todos
entraram e Luidi, com sua força e determinação, segurou o coitado do
Diniz e disse: “Novamente senha e quantia nova! Se amanhã quiser ver o
Tchum, venha com um cinturão de couro e botas pretas. Paga-me agora
R$150000,00.”
Já sem entender nada, mas morrendo de curiosidade, Diniz pagou o que
Luidi o pediu e prometeu aparecer no dia seguinte.

Lá estava ele, cinturão de couro e botas pretas, menos R$300000,00 no
bolso. Tinha certeza que naquele dia veria o Tchum.
O coral comandado por Luana vinha chegando, Diniz seguiu os passos
deles até o salão. Luidi encontrava-se na porta e Diniz gelou dos pés à
cabeça: “Suma, entre nesse salão e vá ver o Tchum!” Exclamou Luidi.

Numa felicidade inexplicável Diniz correu para dentro do salão e
cantava junto: “Queremos ver o Tchum! Queremos ver o Tchum!”
O local estava lotado, só se ouvia “Queremos ver o Tchum! Queremos ver
o Tchum!” As cortinas estavam fechadas e Diniz não via o momento do tal
Tchum chegar.

De repente abriram as cortinas e, no meio do palco havia um enorme
panelão quente. Vinha todo vestido de preto, Ezequiel, que com toda
força na voz perguntou: “Querem ver o Tchum?” E o povo gritava:
“Siiiiiiiiiiim! Queremos ver o Tchum!”
Novamente Ezequiel perguntou: “Têm certeza de que querem ver o Tchum?”
O povo desesperado: “Temos, queremos ver o Tchum”
Diniz já sem paciência gritava “Tchum! Tchum!”

Então, Ezequiel vira de costas e, quando volta está com uma pequena
xícara de água e, antes de jogar o conteúdo em qualquer lugar diz:
“Então vejam o Tchum!”
Jogou a água no panelão, que ao encontrar a superfície quente, fez:
“Tchum!”


Pois bem.. O Diniz prometeu, digamos assim.. “dar o troco”, só que isso
ele também prometeu pra mim a 3 anos com uma que aprontei pra ele, e até
agora o troco não veio, “to esperando ainda”, portanto…

Abração e leiam, se divirtam e principalmente, comentem!

Fernando

jun
09

Oi turma!!

Tenho uma boa, e uma má notícia pra dar, hoje.. Qual vocês querem
primeiro?

Bom, como vocês não tem escolha por que o texto não tem como adivinhar
pensamentos, eu “decido” que vocês terão primeiro a ruim:

Minha página, a Musinformaticista.com, em breve será
“explodida”, “quebrada”, “destruída”, “desmanchada”, ou qualquer outra
coisa feia parecida com isso…

Motivo? Pois.. Aí que começa a boa notícia: Irei “misturar” o blog com a
página, colocando as coisas da página em forma de links no blog, como é
com o “meus contatos”, ou o “saiba um pouco sobre mim”, aqui.. Também,
claro, terá um link pro livro de visitas, que esse não irá sair do ar…

A, só uma coisa: O conteúdo da página.. Esse será o mesmo, disposto de
forma diferente, como disse, mas será o mesmo. Os mesmos programas de
rádio, (e até mais), os mesmos (ou mais) downloads, em fim.. Preservarei
o conteúdo… Já estou planejando a coisa, e em breve vocês a verão no
ar.. Creio que ainda irá demorar um pouco, portanto pra quem quiser “se
despedir” da pagininha antiga, ainda poderá,eeeee.. Mas será feito em
breve…

Abração grandão, e aguardem em breve a modificação.

Fernando

jun
08

Oi turma!!!

Tudo bem?

Pois.. Comigo tudo…

Seguinte: Vocês por acaso já receberam algum SPAM do tipo “divulgue e
ganhe”, “procura-se funcionários”, “Dinheiro fácil e rápido”, ETC, ETC?
Pois eu já, e quase entrei nessa furada, e agora venho aqui pra
denunciar essa palhaçada. Geralmente, a maioria das pessoas,
quando acontece esse tipo de coisa, até por vergonha, se “esconde” e não
fala mais no assunto… Eu, contudo, senti-me na obrigação de falar, até
por que sei que muitos, como eu, já entraram, estão, ou um dia entrarão
nesse tipo de coisa, e reconheço que é bem desagradável ser enganado;
Mais desagradável ainda, é assumir que foi enganado; Mas mesmo assim,
temos que engolir o orgulho e avisar, por mais duro que seja, pra evitar
que outros caiam nesse tipo de coisa, como eu quase caí..

Digo quase, por que não cheguei a “pagar”, pela primeira vez não apostei
demais em algo sem ver o retorno primeiro, pra me decepcionar depois. E,
como não vi o retorno, não paguei, claro, até por que não “assinei”
contrato nenhum e ninguém pode, portanto, me cobrar nada..

Seguinte: Vocês já ouviram falar em marketing de rede? Pois.. Desde 94,
quando eu tinha 14 anos, ouço falar nesse cara esquisito.. Explicando
brevemente, esse cara esquisito funciona assim: Agente vira
revendedor de um produto, de uma empresa qualquer;
Daí, agente revende o produto e ganha uma percentagem sob o valor dele.
Se agente “eleger” representantes pra que eles também vendam
com nós, agente ganha comissão sob o produto que eles venderem.. E,
dependendo do tipo de marketing, agente ganhará até 6 níveis de
“representantes e representantes do representante, etc, etc”… Um
negócio excelente, né? E dá um dinheirão que… É uma loucura! :)

Bom, vamos então explicar a coisa: Se eu ganho um percentual que pode
variar de 15 a 35% de um produto que vendi, pra também ganhar, mais ou
menos, de 3 a 5% sobre a comissão de outro que vendeu pra mim, e do
outro que vendeu pro outro que vendeu pra mim… ETC… Vocês conseguem,
por acaso, imaginar o “valor real” do produto, pra começar, e o quanto
os caras que fazem isso estão ganhando de comissão?? Pois.. Eu
consegui, e digo que é grande…

Mas isso não é o suficiente não, olhem, por exemplo, as promessas, ouso
até fazer um cálculo básico aqui:

Vamos supor que o nosso produto custa R$100.00; Nossa comissão, será de
20%, e a comissão que ganharemos a partir dos nossos “representantes” um
nível mais baixo que nós, será de 5%.. Vamos lá então:

Supondo que tenhamos vendido nosso produto pra 10 pessoas, e, que essas
10 pessoas, milagrosamente e por alguma razão esquisita no meio de toda
essa crise, também tenham conseguido vender nosso produto pra
mais 10 pessoas cada uma.. Vamos ao cálculo milagroso então,
calculadoras e cabeças “em mão”:

Nosso ganho original:
100*10=1000*20%=200.

Em fim.. Milagrosamente, ganhamos 200 reais! Vamos então continuar com
os “ganhos milagrosos”, continuo o cálculo aqui baseado no “nosso
ganho”, sob a comição dos nossos “representantes”, se cada um vendeu 10
também, totaliza 100.. então:

100*100*5%=500…

Ou seja: Com esse esforço todo, ganhamos apenas 700 reais no total.. E
aí vão duas perguntas, por que não sou exatamente um entendido de
marketing de rede e nem tenho mais o interesse de tentar entender…

1) Onde conseguiríamos vender tudo isso, na crise de hoje em dia? E,
falando nisso, quem iria querer comprar nosso produto se existem outros,
equivalentes, por preços bem mais baixos ou até as vezes de graça? Na
crise de hoje em dia…

2) De onde sai a “comissão sob comissão”? Por que se sai dos 20% do
nosso “vendedor um nível abaixo”, dizer que ele ganha 20% líquido é uma
falácia! E, se ganha, tem mais 5% ocultos aí, que os coitados que ainda
se dão ao trabalho de comprar a droga do produto, pagam e não tão
sabendo…? E.. Tem que ter mais comissão oculta aí, que agente nunca
vai saber, até por que.. A empresa também não trabalha de graça,
né? E o pior é que o valor deve ser graaaande…

Mas em fim, voltando ao centro do assunto, e que me levou a escrever
isso… Como dice, dessa vez não foi como sempre, que eu apostei
demais.. Dessa vez eu nem cheguei a entrar, digamos assim, até por que
nem paguei, mas escrevo essa coisa, pensando naqueles que pagam..

E na internet, como todos que tão lendo isso acredito que saibam,
existem milhares de promessas bestas como essa, revistas e ebooks
inúteis que agente revende e ganha comissão, produtos que agente anuncia
e a própria empresa se encarrega de enviar e nos mandar a comissão (se
e quando vender), em fim.. Milhares de coisas assim.. E a internet nos
empolga, até por ser um excelente meio de comunicação e de “divulgação
barata”… Basta saír mandando e-mails pra 37658765 pessoas por aí, que
já estaremos fazendo a divulgação…

Mas.. E eu me pergunto: Como conseguiremos divulgar, e o que realmente
ganharemos com isso? E eu mesmo respondo: Teríamos que saír pegando
e-mails de pessoas por aí, e ir mandando SPAM! Ou pegar a lista
telefônica e sair fazendo a divulgação desesperadamente por telefone, (e
depois pagar o estrago na conta), ou ficar encomodando os próprios
amigos, no MSN, e coisa do gênero, pra que eles também entrem na mesma
furada? Acho que nenhuma das 3 opções é exatamente agradável, né? Graças
a Deus, eu só caí na primeira, a de mandar SPAM; Não tava tão
desesperado a ponto de cair na segunda, ou na terceira, mas mesmo
assim… Tenho que fazer minha parte, depois de tudo.. E mais uma
coisinha: Se agente não ganha “dinheiro milagroso”, sabem o que agente
pode ganhar? Respondo por mim mesmo, no caso da internet.. No caso dos
que fazem a divulgação por telefone pode ser pior, mas falo aqui,
inicialmente, só da internet:

1) Ser posto em moderação (e quase expulso) numa lista de discussão da
qual agente gosta muito.

2) Receber algumas advertências, e também alguns desaforos por e-mail,
das pessoas que receberam a palhaçada da nossa divulgação..

Portanto, queridos amigos e leitores, dou aqui, duas advertências pra
que vocês não caiam no erro que eu quase caí, e que algumas pessoas, sei
que também já caíram:

1) Primeiramente, pensem que dinheiro, (pra ninguém), vem ou é fácil..
Geralmente agente tem que trabalhar, e duro, pra ganhar algum. Não que
eu não considere o marketing de rede um trabálho.. Pelo contrário:
Aqueles poucos que realmente ganham com esse tipo de coisa, são
justamente aqueles que, pelomenos inicialmente, realmente trabalharam…
E conheço também pessoas sérias de empresas sérias que trabalham com
isso, e ganham, sim, muito bem… Mas é difícil e não é nada
milagroso…

2) Continuando, se realmente pensarem em entrar nesse tipo de coisa,
mesmo depois de tudo isso, peço que dêem uma olhada pela internet;
Existem vários sites de advertência e esclarecimento sobre tudo isso.. É
só procurar, ler e pensar depois..

3) Se ainda assim, quiser arriscar entrar nesse tipo de coisa, sugiro
então que observem a seriedade da empresa, em primeiro lugar..
Empresas que cometem erros elementares como “falta de vírgulas, pontos,
maiúscula em início de frase”, e outros supostos erros de digitação em
seu próprio site, não devem ser levadas a sério. Falando em português, é
interessante também, observar os e-mails de suporte da empresa..

Em fim… Sei que existem milhares e milhares de advertências quanto a
isso espalhadas pela internet.. Mas eu aqui, tive de deixar a minha
também… Leiam e sigam, quem quiser… E passem adiante…

Se bem que o que me desanima, é que as pessoas que as vezes mais seriam
enganadas, e mais precisariam ser alertadas quanto a isso, serão as que
menos, por exemplo, acessarão esse artigo..

Mas em fim.. Mesmo assim, leiam e passem adiante..

Abração, e fico, como sempre, aguardando os coments..

Fernando

jun
07

Oi turma!

Pois.. Hoje trago mais uma dica por aqui, a pedidos.. Como desativar a
reprodução automática de cds, no windows 2000 ou XP..

Vamos lá:

Em iniciar/executar, digitamos:
gpedit.msc

Vai caír nas diretivas de grupo.. Já estamos em “diretiva computador
local”… Basta dar um ceta pra baixo, e ele vai falar “configuração do
computador”. Damos então um seta pra direita, e depois, baixo até ele
falar “modelos administrativos”. Mais um seta pra direita, e agora, seta
pra baixo até ele falar “sistema”. Agora, vamos dar tab, (vai caír numa
lista”, e vamos procurar por uma opção que no 2000 é conhecida como
“desativar reprodução automática”, e no XP é conhecida como “desativar
autoexecutar”. Estando nela, damos um enter, vai abrir a janela de
propriedades.

Muito bem.. Agora, essa opção, geralmente tá como “não configurado”..
Pra funcionar, temos que colocá-la como “ativado”.

Depois, dando um tab, temos uma caixa combinada, onde decidimos pra que
tipos de unidades isso vai funcionar.. Se queremos que funcione apenas
para cds, deixamos como está. Se não, basta colocá-la na opção “todas as
unidades”, e pronto! Damos ok, e tudo funciona.

Abração e aguardo os comentários!

Fernando

jun
06

Oi turma!!

Tudo bom?

Espero que sim, por que comigo, está tudo ótimo..

Bom, hoje estou aqui para mostrar aos curiosos, como fazer um chat
semelhante a aquele que eu tenho, que muitos já conhecem o endereço e as
formas de entrar.. Para os que não conhecem, bom.. Aí vai a dica: Leiam
esse post aqui, e, depois, só é fechar a janela

e continuar lendo
abaixo.

Bom, vamos lá: Curiosos, atensão!! Seguinte:

Primeiramente, vocês precisarão baixar o programa, que está nos
seguintes endereços:

Versão windows:
http://sitiodosvox.com/download.php

Versão linux:
http://sitiodosvox.com/sitio.tar.gz

Depois, no caso de terem baixado a versão windows do programa,
precisarão executar o setup, pra fazer a instalação básica.. Só é seguir
os passos indicados pelo próprio programa de instalação.

No caso do linux, você terá que estar logado como superusuário, e poderá
fazer o seguinte:
Vá para a pasta /usr/local/sbin, com o comando:
cd /usr/local/sbin

Depois, crie um diretório, (o nome pode ser chat), digitando o seguinte,
por exemplo:
sudo mkdir chat

Detale: To colocando o sudo na frente aqui, assumindo que você não está
logado como superusuário. Se estiver, poderá ignorar o sudo… Vamos
adiante:

Digite o seguinte comando:
cd chat
(Isso se estiver na pasta /usr/local/sbin, por que senão o comando
deverá ser cd /usr/local/sbin/chat), e agora você estará na pasta
adequada pra salvar, instalar e configurar o programa.. Vamos adiante:
Depois, já baixe o programa direto lá.. Se você se logou como
superusuário, ou tornou seu usuário com “poderes” de superusuário, não
precisará inserir o comando sudo na frente.. Vou assumir aqui que você
não fez isso, e portanto, o comando será o seguinte:
Pra baixar o programa:
sudo wget http://sitiodosvox.com/sitio.tar.gz

Pra instalar:
sudo tar -zxvf sitio.tar.gz

Isso irá descompactar a coisa já com as devidas permições..

Agora, vamos configurar o bichinho:

Você precisará editar o arquivo sitio.conf. Para isso, aí vão as
instruções, tanto pra se você tiver usando o sistema windows, quanto pro
sistema linux..

1) No windows:
Basta editar, com o bloco de notas, o arquivo
c:\sitio\sitio.conf

Esse arquivo é onde estão todas as configurações do chat. Detale: Ele
não precisa ser formatado, deixado bonitinho ou qualquer coisa do
gênero.. Deixe-o como está, só alterando o que tem que alterar, que vou
descrever abaixo.
Recadinho pros DVS que usam dosvox: Esse arquivo pode perfeitamente ser
editado pelo edivox..

2) No linux:
Você precisará abrir o nano, pra editar o arquivo, com o seguinte
comando:
sudo nano /usr/local/sbin/chat/sitio.conf

Depois, só é modificar as configurações como explicarei abaixo, e teclar
control O pra salvar, depois control X pra abandonar o nano quando tudo
estiver pronto…

Bom, vamos ver agora, então, como configurar o sitio.conf, pra, de fato,
criar seu chat. Transcrevo abaixo, parte do manual do próprio programa,
(que quem instalou o chat pra sistema windows, o encontra em
c:\sitio\leia-me.txt):


2. Configurações e arquivo de configuração


Antes de mais nada, é necessário configurar o sítio, substituindo os valores lá existentes,
de acordo com suas necessidades e preferências, lembrando que o arquivo “sitio.conf” deve estar
sempre na mesma pasta em que foi instalado o servidor; absolutamente todas as configurações
do sítio, bem como os apelidos, ips bloqueados e etc, são armazenados neste arquivo. Você
pode editá-lo usando qualquer editor de textos que edite texto puro (somente .txt), nunca use
o Word ou Wordpad para editar este arquivo.
Este arquivo nem o processo de configuração em si serão muito detalhados aqui, pois o arquivo
é auto-explicativo, isto é, você conseguirá, lendo-o com atenção, configurá-lo apropriadamente.
Se você já configurou algum servidor antes, como o “Apache Web Server”, nem é necessário
comentar muito sobre como manusear este arquivo, pois seu formato é bem parecido.
Quando abrimos o arquivo, observamos em quase todas as linhas do arquivo (e sempre no início),
o caracter “#”. Este caracter é o responsável por permitir-nos inserir comentários dentro do
arquivo, o que também pode ser usado para inibir um item da configuração. Quando quiser fazer
algum comentário, bastará inserir este caracter sempre no início da linha e escrever uma frase
qualquer, ou no caso de desabilitar um item da configuração, bastará inserir o “#” anterior
ao mesmo.
Item da configuração acima referidos são aqueles iniciados em “*” (asterisco), como em:
*nome Chat das Folhas
Ou seja, o nome do item, um espaço e a informação que ele pede, no caso citado como exemplo
diz que você está acessando o item “*nome”, com a informação “Chat das folhas”.
Alguns itens não precisam receber uma informação, apenas exige-se que ele esteja descomentado,
como em:
*registro
Se, este comando estiver na configuração sem o # antes, fará com que o registro de apelidos
seja autorizado à todos, sem a necessidade da intervensão de um moderador.
Como você poderá perceber, dentro do arquivo a configuração está dividida e comentada passo a
passo, então não existem segredos. Salve o arquivo com as modificações que você provavelmente
fez nele, e passe para a parte de ativar o sítio neste manual.


Bom.. Você configurou o chat, e, agora precisa ativá-lo.. Existem duas
maneiras, mas aqui vou encinar a mais difícil e ao mesmo tempo a melhor:

1) No windows:
Vá no menú iniciar/executar, e digite o seguinte:
command

Dê enter ou clique em ok, e vai aparecer provávelmente o nosso prompt do
dos, “vélho, antigo e arcaico mas muito legal”..
Digite, então, o seguinte:
cd \sitio
sitio -papo
sitio -reg2

Isto irá fazer 3 tarefas: Mudar para o diretório do chat, executar o
batepapo propriamente dito, e, depois, executar o cadastro dele no
findip, o servidor de nomes.. Detale: A terceira tarefa não é
obrigatória, se você não quiser registrar, poderá simplesmente ignorar
esse passo e ir adiante.

2) No linux:
Basta digitar
sudo sitio -papo
e
sudo sitio -reg2
E pronto, já está ativado e registrado no findip.. Nesse caso, é a
segunda opção que não é obrigatória..

Bom.. Você criou o chat, ativou, e beleza.. Mas você terá que ficar
dando seu IP pros seus amigos pra que eles poçam entrar? Nada disso!
Isso seria bem desagradável.. Pra resolver isso, existe um programinha
que cria um “domínio virtual emprestado”, pra que agente poça resolver o
problema do chat.. Na verdade, existem vários, mas aqui, vou falar
especificamente do DDNS, que é um software brasileiro, e super fácil de
configurar..

Primeiro, vamos baixá-lo.. Os links pra download são:

DDNS para windows 95, 98 e NT:
http://www.winconnection.com.br/download/download.php?versao=DDNS9X

DDNS para windows 2000, ME e XP:
http://www.winconnection.com.br/download/download.php?versao=DDNSXP

DDNS para linux:
http://www.winco.com.br/download/ddns-linux-1.0.tgz

Muito bem.. Depois de baixado, execute o instalador, e siga os passos
pra instalar.. No caso dos executáveis, para windows, acho que nem
preciso comentar muito, basta mandar ver com os avançar, e ir
respondendo algo q tiver pra responder, (se tiver alguma coisa).

E bom.. No caso do windows, assim que você instalar, ele já vai executar
o assistente de configuração do domínio. Clique em avançar, e selecione
a opção “criar o meu domínio no servidor ddns”. Clique em avançar
denovo, e preencha corretamente os campos nome, nome do domínio (e se
vai ser ddns.com.br ou winconnection.com.br), e o seu e-mail.
Feito isso, quando você clicar em avançar o sistema irá enviar uma senha
a você, pro seu e-mail. Você precisará dela pra ativar o domínio.
Pegue-a no seu e-mail, e cole-a no campo indicado pelo programa.
Depois, basta clicar em concluír, e está tudo configurado…

Muito bem.. Mas.. Quem instalou o ddns para linux, não tem acesso a esse
programa de instalação que já configura direto.. Portanto, precisará
fazer o seguinte:

Pra cadastrar o domínio, acesse o endereço:
http://www.winco.com.br/ddns/interna.phtml?ctx_cod=9.5

Apenas as opções de Criação de Dominio e Recuperação de Licença são
válidos para o DDNS for Linux, visto que ele usa o mesmo assistente de
configuração do windows e algumas opções são desnecessárias para o
linux.

Não é necessário confirmar a senha no final do processo, visto que a
senha será inserida no arquivo ddns.sh abaixo.

Bom, vamos ver então como instalar e configurar adequadamente o
programa:

Caso 1: Não possui endereço IP fixo e não está atrás de um NAT.

1) Os programas de DDNS devem ser instalados no diretório
/usr/local/sbin. Se esse diretório não
existir, ele deve ser criado. Após a criação do mesmo, execute os
seguintes comandos:

cd /usr/local/sbin
sudo wget http://www.winco.com.br/download/ddns-linux-1.0.tgz
sudo tar zxf ddns-linux-1.0.tgz

Detale: Sudo simplesmente por que nada pode ser salvo nessa pasta se não
for pelo superusuário, e por isso sudo até no wget.

2) Edite o arquivo /usr/local/sbin/ddns.sh e configure as seguintes
linhas:

DOMINIO=”seudominio.winconnection.net ” #Seu end. DDNS (ex.: meuendereco) ou “seudominio.ddns.com.br ” #Seu end. DDNS

SENHA=”xxxxxxxxxx ” #A sua senha para o domínio

INTERFACE=”ppp0″ #Coloque aqui o endereco correto da interface de rede Ex.: ppp0, eth0, etc

Dica: Você pode usar o nano nesse caso, e, como já estaremos no
diretório apropriado, (o /usr/local/sbin), apenas precisamos digitar o
comando:

sudo nano ddns.sh

Editamos as linhas, depois control O e enter pra salvar, e control X pra
saír do arquivo e voltar pro shell.

3) Crie as seguintes entradas no crontab do root (usando crontab -e ),
da seguinte forma:

Digite o comando:

sudo crontab -e

Vai abrir o nano. Coloque as seguintes linhas ao fim do arquivo (já está
nele se você não mecheu o cursor):

*/1 * * * * /usr/local/sbin/ddns.sh
0,30 * * * * /usr/local/sbin/ddns-refresh.sh

Depois control O pra salvar, e control X pra fechar.

Pronto. O DDNS For Linux está pronto para ser usado.

Caso 2: O endereço IP é fixo. Pode estar atrás do NAT ou não.

1) Os programas de DDNS devem ser instalados no diretório
/usr/local/sbin. Se esse diretório não existir, ele deve ser criado.
Após a criação do mesmo, execute os comandos:

cd /usr/local/sbin
sudo wget http://www.winco.com.br/download/ddns-linux-1.0.tgz
sudo tar zxf ddns-linux-1.0.tgz

2) Edite o arquivo /usr/local/sbin/ddnsfixo-refresh.sh e configure as
seguinte linhas:

DOMINIO=”seudominio.winconnection.net ” #Seu end. DDNS (ex.: meuendereco) ou ” seudominio.ddns.com.br” # Seu end.DDNS

SENHA=”xxxxxxxxxx ” #A sua senha para o domínio

IP=”XXX.XXX.XXX.XXX” # O seu end. IP fixo. Ex: 200.199.198.197

Lembrando que você pode usar o nano, conforme descrito acima. Detale:
Nem tentem usar o nano sem o sudo antes.. Não vai dar pra salvar
depois,eeeee! (Digo por que eu fiz isso)…
E, falando em salvar e fechar, control O e enter pra salvar, e control X
pra abandonar.

Depois, criem a seguinte entrada no crontab do root (usando crontab -e ):

0,30 * * * * /usr/local/sbin/ddnsfixo-refresh.sh

Lembrando que o crontab -e também tem que vir com sudo antes.

Depois, executem o comando:

sudo /usr/local/sbin/ddnsfixo-refresh.sh

Pronto. O DDNS For Linux está configurado e é só se divertir!

Interessante, né? E complicadinho, assim de cara, mas pra quem souber
seguir.. É só se divertir com o seu próprio chat depois…

Seguindo tudo isso certinho, você concegue configurar seu chat tanto no
windows, quanto no linux.

Detale: Pra quem é usuário do linux, o chat também pode ser configurado
pra ser iniciado pelo crontab.

Pra quem quiser saber mais informações sobre como funciona o crontab pra
“montar” os seus próprios agendamentos, pode acessar este

artigo aqui,
da wikipedia, onde tem informações bem interessantes sobre a
configuração do crontab…

Bom, depois de toda essa bomba, vou terminando por aqui.. Espero que
gostem, e que consigamos ver muitos chats novos criados por aí..

Abração e aguardo os comentários, principalmente se nos comentários
tiver links pra novos chats criados por este sistema…

Fernando

jun
04

Oi turma!!

Trago aqui mais um texto do Pedro Cardoso da Costa, que já era pra ter
sido publicado aqui a semana passada, mas que eu acabei deixando passar.
Fala sobre a atuação da polícia, em contraste com a da justiça, e,
claro, com o apoio desmotivador da imprensa, e de “escândalos internos”
que também atrapalham.. Leiam e, principalmente, comentem!

Vamos a ele:


POL?CIA COM PF MAIÚSCULAS


Mesmo com a resistência da imprensa nacional ao tentar desmerecer o
trabalho da Polícia Federal, ora com críticas às cenas de holofotes
dadas por ela mesma, ora aos pomposos nomes dado às operações, trata-se
da instituição que enaltece o serviço público e tem merecido a guarida
da população honesta deste país. Também prova que, dentro deste oceano
de lama, se pode trabalhar com eficiência e correção. As demais
instituições, mais do que expurgarem seus maus funcionários e se
tornarem eficientes, precisam mudar a cultura do protecionismo ao
banditismo do colarinho branco. A omissão ou conivência de grande parte
da mídia explica-se por favores ilegais, semelhantes ao plano de saúde
pago a jornalistas e familiares pela Câmara dos Deputados. Se a Justiça
funcionasse minimamente, esse dinheiro teria que ser ressarcido e algum
responsável penalizado criminalmente. Se utilizar dinheiro público
indevidamente não for crime, pode extinguir essa figura jurídica, ao
menos para
algumas pessoas. Seria o único país do mundo que teria a figura dos
incrimináveis pelo status social.
Mas tem que haver certa coerência entre a Polícia Federal e a Justiça.
As prisões da PF e as seguidas solturas da Justiça, em especial das
instâncias superiores, precisam ser revistas; ou as prisões ou as
solturas não são bem fundamentadas juridicamente. Mas só de ver aquela
cena rotineira de paletós ou blusões carregados pelas mãos postas, mesmo
nos quarenta graus de calor, como se tivessem rezando, já lava a alma
dos honestos.
Outra característica resultante das mega-ações são as explicações dos
superiores. Uns não conhecem os assessores; outros não teriam idéia do
que seriam capazes; lição antiga da dupla Dirceu/Waldomiro; e todos,
todos, sem distinção, mandam apurar internamente o ocorrido com a
instauração de sindicâncias, abertura de processos administrativos e
até auditorias. Todas essas ações merecedoras de confiabilidade inferior
à de uma raposa que cuida de uma galinha; ou de uma cobra protegendo um
sapo; ou dos agentes controladores da entrada de celular nas cadeias.
Os diversos institutos de pesquisas deveriam perguntar aos cidadãos
sobre em qual instituição da Administração Pública brasileira ela confia
mais. Mas, deveria separá-las em duas para mostrar diferentes
resultados. Uma aos cidadãos de bem, outra a esta casta que destrói o
Brasil. Na primeira, seria cem por cento de aprovação; na segunda mesmo
percentual de reprovação.
Mas a Polícia Federal deve estruturar-se para um passo seguinte nas
investigações. Agora, a prova principal tem sido as gravações
telefônicas, cujas vozes os donos não as reconhecem, por embriaguez,
sonolência, remédios dopantes, rouquidão. É que as gravações têm pegado
os infratores porque se julgam acima da lei, como vivem repetindo. Uma
hora, eles trocarão os telefonemas por reuniões. Aí, seria o momento de
gravações de imagens, muito nítidas, senão vão ser negadas; ou de som,
mas ambiente. Vai complicar!
Os resultados têm sido frustrantes. Muitas vezes pelo preço de
sentenças de vários magistrados, do nível do meritíssimo Paulo Medina.
Neste aspecto a imprensa falha, por não colocar apenas a lista num
quadro sinótico com nome, cargo, quem o indicou, e cobrar o resultado do
processo. Por exemplo, ainda que nunca se encontre o responsável, a
população precisa saber onde está depositado e a destinação do montante
dos dinheiros que voam pelo Brasil. Do dossiê do Hotel ?bis, da cueca e
de outros. Polícia estender a competência da PF para investigar as
doações de milhões às campanhas. Assim deixaria de ser mera coincidência
os posteriores contratos das empresas doadoras com os governos eleitos;
o enriquecimento bilionário e repentino de servidores públicos, como do
delegado Di Rissio, que já tinha um valoroso e iria comprar outro
apartamento de um milhão e meio de reais, além de tantas outras
normalidades que só acontecem no Brasil; mas não o Brasil da Polícia
Federal, esta,
sim, uma instituição de iniciais maiúsculas com justeza incomparável.
Pedro Cardoso da Costa – Bel. Direito
Interlagos/SP

Fidelidade Partidária

Diogo Mainardi escreveu certa vez que o Brasil perde muito mais quando
os parlamentares trabalharam mais. Exagero, só os parlamentares entendem
assim; se perguntarem ao povo, só responde ao contrário aqueles que não
entendem nada das operações da Polícia Federal.

Os parlamentares legislam em demasia sobre as mesmas coisas e isso
serve para causar confusão e ajuda aos maus jurisconsultos decidirem
casos semelhantes das formas mais diversas possíveis. Algumas decisões
a Polícia Federal está desbaratando a que preço.

Se o Brasil saísse dessa discussão legalista permanente para os atos
administrativos em si, talvez a imprensa pudesse acompanhar mais de
perto as verbas e suas destinações e, tal como o cidadão, não se
surpreendesse tanto com os furtos, apropriação indébita ou outros tipos,
sempre chamados de desvios.

Prova inconteste dessa legislação inócua e desnecessária tem sido o
debate por fidelidade partidária. Preocupação apenas dos oposicionistas
da vez, porque ética é definida como conceito individual pelo
brasileiro conforme o interesse imediato de cada indivíduo, e quase
todos têm por normal que ela não faça parte da política nacional.
Discute-se e perde-se tempo com a criação de lei para estabelecer a
perda de mandato de parlamentar quando troque de partido.

A solução existe há mais de onze anos, no artigo que transcrevo da lei
9.096, de setembro de 1995. Art. 20. É facultado ao partido político
estabelecer, em seu estatuto, prazos de filiação partidária superiores
aos previstos nesta Lei, com vistas a candidatura a cargos eletivos
(sublinhado por mim).

Esta norma torna-se mais democrática do que numa lei, que obrigaria a
todos por igual. No estatuto, cada partido pode definir o prazo que
corresponda a sua “ética?. Caso não tenham entendido, a lei determina
prazo maior e indefinido. Pode ser de cinco, dez, vinte anos. Como as
eleições são de quatro em quatro anos, bastaria definir que somente
poderiam ser candidatos os filiados ao partido há pelo menos quatro anos
da eleição. Isso deixaria claro se a preocupação seria com a ética. Se
for apenas para tomar o mandato dos parlamentares para os partidos,
poderiam acrescentar esse prazo mínimo de quatro anos no próprio artigo.
Pedro Cardoso da Costa – Bel. Direito
Interlagos/SP


E então? Leiam, comentem, critiquem.. É pra isso que estamos aqui..

Abração!

Fernando

jun
04

Oi turma!!

Tudo bem?

Pois.. Estou aqui pra indicar mais um blog de um amigo e “companheiro de
coral”, que tá entrando agora pra “turma maluca dos blogueiros”, e já
mostra que tem bastante coisa interessante pra compartilhar com
agente… Vamos então visitar! E, principalmente, comentar… Ou melhor:
Os que enchergam vão, por que os que não, enquanto o terra blog não
mudar a questão da imágem de verificação (e não colocar um som pra
agente ouvir a imágem), vai ser complicado. Bem, mas eu sou assinante do
terra, vou registrar essa reclamação e vamos ver se eles resolvem o
problema.. Bom, mas chega de enrolação. O nome dele é Jader Bernardes, e
o blog dele, sinceramente, é a “minha cara”, digamos assim. É bem o que
gosto de ler.. Tenho certeza que muitos aqui também vão gostar.. Vamos
ao endereço então:

http://aguaesabao.blog.terra.com.br/

Leiam lá e comentem aqui e lá! Espero que gostem, por que eu gostei..

Abração!

Fernando